Visita Encydia-Wikilingue.com

Burgos

burgos - Wikilingue - Encydia

Burgos
Bandera de Burgos
Bandeira
Escudo de Burgos
Escudo
Burgos en España
Burgos
Burgos

Burgos Capital - Mapa municipal.svg

País Flag of Spain.svg Espanha
• Com. Autónoma Bandera de Castilla y León.svg Castilla e León
• Província Flag Burgos Province.svg Burgos
• Comarca Alfoz de Burgos
• Partido judicial Burgos
• Município Burgos
Localização 42°20′57″N 3°41′5″Ou / 42.34917, -3.68472Coordenadas: 42°20′57″N 3°41′5″Ou / 42.34917, -3.68472
• Altitude 856 msnm
• Distâncias 244 km a Madri
128 km a Valladolid
154 km a Santander
115 km a Vitoria
113 km a Logroño.
Superfície 107,08 km²
Núcleos de população Burgos, Castañares, Cortes, Cótar, Villafría de Burgos, Villagonzalo-Areias, Villalonquéjar, Villatoro, Villayuda ou A Ventilla, Villímar
Fundação Medieval 884
População 178.966 hab. (2009)
• Densidade 1.671,33 hab./km²
Gentilicio burgalés, sa[1]
Código postal 09001 - 09007
Pref. telefónico 947
Prefeito (2007) Juan Carlos Aparicio Pérez (PP)
Orçamento 237.760.000 € (ano 2010)
Fraternizada com Loudun (França)
Pessac (França)
Padrão San Lesmes
Patroa Santa María a Maior
Sitio site www.aytoburgos.es
Para a província espanhola, veja-se Província de Burgos.
Para outros usos deste termo, veja-se Burgos (desambiguación).

Burgos é um município e uma cidade espanhola situada no norte da Península Ibéria, capital da província homónima e da antiga região histórica de Castilla a Velha, na comunidade autónoma de Castilla e León. Segundo dados demográficos de 2009 , conta com uma população de 178.966 habitantes, repartidos em uma superfície de 107,08 km², convertendo-se na 37ª cidade mais povoada de Espanha , e a segunda da comunidade, por trás de Valladolid .[2]

Existem provas de assentamentos no Cerro do Castillo que domina a cidade no Neolítico e na primeira Idade do Ferro, no entanto, a cidade de Burgos foi fundada como tal pelo conde asturiano Diego Rodríguez "Porcelos" no ano 884. Para o 930, converteu-se em capital do condado de Castilla quando este atingiu sua independência do reino de León baixo a actuação de Fernán González. Foi a capital da Coroa de Castilla de forma intermitente, desde 1230 até o reinado dos Reis Católicos. Em 1512 , foram ditadas na cidade as Leis de Burgos, as primeiras leis que a Monarquia Hispânica aplicou na América para organizar sua conquista.

Conta com um anel verde e um amplísimo conjunto monumental entre os quais destacam a catedral de Santa María, expoente da arquitectura gótica declarada Património da Humanidade, o monasterio de Santa María a Real das Greves e a cartuja de Miraflores. Ademais, a cidade é atravessada pelo Caminho de Santiago, e encontra-se a tão só 15 km do yacimiento arqueológico de Atapuerca . Em meados de 2010 , abrirá suas portas o Museu da Evolução Humana.

A cidade experimentou uma forte industrialización durante o século XX, principalmente em torno do sector automobilístico e de alimentação, propiciada por bem comunicações com outras capitais, como Valladolid ou Vitoria das que só dista uns 120 km. Estes factores, unidos a um sector terciário desenvolvido, com presença destacable do turismo, convertem-na na 18ª cidade em actividade económica da nação. [3]

Alberga as sedes do Tribunal Superior de Justiça de Castilla e León e do Instituto Castelhano e Leonés da Língua. Em 2010 sua Prefeitura estava governada pelo Partido Popular, sendo prefeito Juan Carlos Aparicio.

Burgos é uma das cidades candidatas a ser Capital Européia da Cultura no ano 2016. Ademais, é sede de vários eventos de carácter nacional, como o festival de música electrónica Electrosonic, ou as jornadas de ForoBurgos, em torno do sector económico e empresarial.

Durante os últimos anos, a cidade tem experimentado um auge significativo no sector da investigação, ao contar com centros como o CENIEH, a Área Burgalesa de Investigação, o CRER e o ITCL, entre outros. Ademais, em 2012 entrará em funcionamento o Parque Tecnológico de Burgos.

Em 2010 , a cidade acha-se inmersa em numerosos projectos, tais como o Museu da Evolução Humana, a urbanización da Avenida de Valencia, o novo hospital, ou o Auditório e Palácio de Congressos.

Conteúdo

Meio geográfico

Localização

Noroeste: Tardajos e Alfoz de Quintanadueñas Norte: Alfoz de Quintanadueñas, Quintanilla Vivar, Villayerno e Hurones Nordeste: Hurones e Rubena
Oeste: Tardajos, Villalbilla Rosa de los vientos.svg Leste: Rubena, Orbaneja e Cardeñajimeno
Sudoeste: Villagonzalo Sur: Villagonzalo, Villariezo, Modúbar e Cardeñadijo Sudeste: Cardeñajimeno e Cardeñadijo

A cidade de Burgos localiza-se no centro da província de Burgos, a 244 km ao norte de Madri , na comunidade autónoma de Castilla e León (Espanha). As coordenadas da cidade são latitud 42º 20' 57,1" N e longitude: 3º 41' 4,7" Ou, tem uma extensão de 107,08 km² e encontra-se a 856 metros sobre o nível do mar segundo o Instituto Geográfico Nacional. Sua privilegiada situação, aproximadamente no centro do norte peninsular, a situa como cidade de passagem obrigado da meseta para País Basco e França, além de supor o ponto de partida de dois dos principais acessos a Cantabria .

Vista do rio Arlanzón a seu passo pela cidade.

Hidrografía

A localidade é atravessada pelo rio Arlanzón, formando o principal eixo fluvial da cidade, de oeste a este. Pelo termo municipal passam outros rios como a Veia (o qual desemboca no Arlanzón cerca do capacete histórico), o Cardeñadijo e o Ubierna, afluentes do Arlanzón e o rio Pico, afluente da Veia.

Clima

Ponte de San Pablo em inverno.
Climograma de Burgos (Villafría).

O clima de Burgos é mediterráneo continentalizado ou continental moderado com influências mediterráneas no regime de precipitações. A estação mais lluviosa é a primavera enquanto o verão é suave e muito menos húmido que na Espanha atlántica. Os invernos são muito nevosos e frios com temperaturas mínimas que em ocasiões descem de 10 °C. Costumam ser frequentes as nevadas copiosas por temporada, prolongando-se inclusive até muito entrada a primavera.

A seguir detalha-se uma tabela com os valores médios, máximos e mínimos de temperaturas, bem como as precipitações totais, horas de sol e nos dias de chuva.

Nuvola apps kweather.svg  Parámetros climáticos média de Burgos (1971 - 2000) Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Anual
Temperatura diária máxima (°C) 6.7 8.9 12.0 13.3 17.2 22.0 26.4 26.7 22.9 16.5 10.7 7.6 15.9
Temperatura diária mínima (°C) -1.2 -0.6 0.6 2.2 5.6 8.4 11.0 11.1 8.5 5.3 1.6 0.3 4.4
Precipitação total (mm) 46 42 31 65 69 46 30 27 36 50 56 57 555
Horas de sol 90 113 171 173 213 270 312 291 218 150 108 74 2183
Dias de chuva (≥ 1 mm) 8 8 6 9 10 6 4 4 5 8 8 9 0
Fonte: Instituto Nacional de Metereología 28/04/2010

Etimología

Há várias versões sobre sua etimología. A maioria inclinam-se por sua origem do baixo latín burgus, formado do grego Πύργος pyrgos, que significa torre e que faria referência às duas torres de vigilância edificadas sobre o cerro do Castillo. Outros opinam que procede do alemão borg, montanha. Vegecio indica que bergus, burgus, significa castelo pequeno. Guadix acrescenta que em árabe بورجوا burgo significa casa pajiza e que poderiam ter tomado esta voz dos godos.[1]


Títulos

Muito Nobre, Muito Mais Leal e Muito Benéfica Cidade de Burgos, Cabeça de Castilla, Câmara Regia e Primeira na Voz e na Fé.[4]

Símbolos

Escudo

Artigo principal: Escudo de Burgos
Escudo de Burgos

O escudo de Burgos aparece documentado desde o ano 1259. Descreve-se como:

Sobre um campo de sinople, médio corpo de rei coroado; o rosto de carnación e o cabelo quadrado como se usava e dizia no medievo; a coroa de ouro com pedrería e quatro florones de acanto interpolados de pérolas. Manto de púrpura e sobre ele três castelos de três torres almenados, manposteados em sable. Significam os três castelos sobre os que a cidade de Burgos tinha propriedade e jurisdição e que eram os e Lara, dado a Burgos por Alfonso X, em 1255; o de Muño, dado por Alfonso XI em 1332; e o de Cellorigo, em 1370, por Enrique II. O médio corpo de rei, que já aparece em um documento em 1259 e que se chamou o "caput Castellae" pelos cronistas, expressa o facto de ser Burgos capital do reino de Castilla, cidade na que nasciam reis, habitaram, administraram justiça e acuñaron moeda. Sobre o corpo regio, muralha de prata que corre de parte a parte e se apoia em seus extremos em sendos escudetes com castelos de ouro. Dita muralha carrega-se sobre seu arco com barbacana e com três torres, a central da homenagem; esta mamposteada de sable. Quer significar a terra de Castilla defendida por seus castelos em todos seus confines. Ao timbre, uma coroa real, da mesma traça que a do rei, provando a faixa permanente da cidade, mãe de reis (quae reges peperit), segundo lemos nos títulos de Burgos. Como lambrequines, uns ramos de sinople, frutados em ouro e fitas de gules nas que se lêem, em sable, os titulos mas preciosos pelos burgaleses: "Caput Castellae", "Camera Regia", "Prima voz et fide" ...(Cabeça de Castilla, Câmara do Rei e a Primeira em voz e em lealdade).[5]

Bandeira

A bandeira de Burgos compõe-se de duas faixas horizontais da mesma largura, a superior vermelha e a inferior parda, com o escudo da cidade centrado na mesma. Ainda que de origem medieval foi concecida de forma oficial à cidade pelo imperador Carlos I em uma de suas visitas; como curiosidade, esta bandeira rompe as leis da heráldica, coisa pouco habitual nas bandeiras medievales.

Hino

O Hino a Burgos foi composto nos anos 1920 pelo músico burgalés Rafael Calleja Gómez, com letra de Marciano Zurita. É cantado todos os anos durante as festas da cidade, em frente ao Arco de Santa María.

História

Na zona existiram assentamentos prerromanos, dos que há mostras no cerro do castelo do período neolítico, cerca de 4500 anos a. C. e da primeira Idade do Ferro, cerca de 850 anos a. C. Em uma crónica árabe cita-se uma população saqueada no ano 860 denominada Burchia, que parece corresponder com a actual Burgos.

Cerca do ano 884 Alfonso III tentado deter o avanço muçulmano enviou a Diego Porcelos levantar uma fortificação em um cerro da margem direita do rio Arlanzón. Isto contribuiria a que o lugar fosse crescendo por sua importância estratégica.

No 931, Fernán González conseguiu reunir o governo dos condados de Burgos, Lara, Lantarón, Cerezo e Álava,[6] deixando a Burgos como capital do condado de Castilla.

Quando em 1038 Fernando I era coroado rei de León, formando o reino de Castilla, Burgos é eleita sua capital.

Em 1071 Sancho II encerra em Burgos a seu irmão García para arrebatar-lhe o reino da Galiza. Em 1074 Alfonso VI, rei depois do fallecimiento de seu irmão Sancho, cedeu seu palácio em Burgos para a construção da catedral de Santa María. Nesse mesmo ano as também irmãs deste, Elvira e Urraca, transladam a diócesis de Oca a Gamonal .

Depois da conquista de Toledo de 1085 por Alfonso VI, Burgos perdia a capitalidad do Reino de Castilla, em favor desta cidade. Isto não paralisou o crescimento de Burgos, onde seguir-se-iam realizando alguns Cortes.

Durante a Guerra Civil Espanhola, a cidade de Burgos foi sede da Junta de Defesa Nacional. Na cidade teve também lugar a formação do Primeiro Governo nacional de Espanha (1938-1939), durante o qual Francisco Franco assume oficialmente os cargos de Chefe de Estado e de Governo.

Transportes

Estrada

Pelo município discurren numerosas estradas nacionais,autovías e autopistas que unem à cidade com todas as capitais que a rodeiam. Graças a sua localização, Burgos tem prosperado economicamente como nodo de enlaces tanto de transportes nacionais (Madri-País Basco, Barcelona-Logroño-Vigo), como internacionais ( E-5 :França-Espanha-Marrocos,  E-80 :Portugal-França, Caminho de Santiago Francês).

Destacam as seguintes vias rápidas:

A cidade encontra-se quase totalmente circunvalada, mediante a  BU-30 , a espera de fechar parte-a norte, actualmente em construção. Permitirá que qualquer tráfico externo atravesse a cidade em qualquer direcção mediante vias rápidas. Espera-se que esteja finalizada a princípios de 2011.

Início da BU-11. Actualmente tem visto reduzido seu tráfico com a abertura de novos trechos da BU-30.

O principal acesso pelo sul realiza-se através da  BU-11 , com início em Praça do Rei.

Existem outras estradas nacionais com origem na cidade, entre elas:

Na rede secundária, está a estrada de poza, entre outras.

Actualmente, encontra-se em construção uma nova autovía que terá seu ponto de partida nesta cidade. Trata-se da  A-73  que unirá Burgos com a cornisa cantábrica através de Aguilar de Campoo. Actualmente encontra-se em obras, e prevê-se que possa estar terminada completamente em 2012. O primeiro trecho, Burgos-Quintanaortuño, será inaugurado no final de 2010. [7]

Também se prevê o desdoblamiento da estrada  N-120  até a capital, onde ligará com a parte mais oriental da autovía do Caminho de Santiago ( A-231 ) e que denominar-se-á  A-12  (Burgos-Logroño-Pamplona). Actualmente encontra-se em processo de licitación.

Autocarros urbanos

Para o transporte interno na cidade existe uma frota de autocarros urbanos que opera mediante uma treintena de linhas. No ano 2009, se contabilizaron 13.450.000 milhões de viajantes com um descenso de 388.416 viajantes com respeito a 2008.

A entidade encarregada da gestão do serviço é o Serviço Municipalizado de Autocarros Urbanos de Burgos. As principais paradas encontram-se na praça de Espanha, nos Soportales de Antón, C/ Vitoria, 7, Avenida do Arlanzón, C/ Grande Teatro e Praça de Meu Cid.

Burgos também conta com serviço de táxis, cujas principais paradas são Praça da Estação, Praça do Cid, Rua Madri, etc. A cidade conta com uma ampla rede de carril bici e existe um serviço público de empréstimo de bicicletas gratuito, o primeiro em Espanha destas características. [8]

Caberia destacar que as iniciativas como a implantação do biodiésel na frota municipal (Polícia, Bombeiros, Autocarros), a renovação de parte da frota de autocarros, o sistema Bicibur de empréstimo de bicicletas ou o controle de acesso de veículos ao Capacete Histórico, têm recebido o reconhecimento de galardões como Cidade Civitas do ano 2007 ou o Energy Globe Award em 2009 .[9]

Autocarros interurbanos

Fachada frontal da Estação de Autocarros de Burgos, situada no C/ Miranda.

A Estação de Autocarros de Burgos encontra-se na rua Miranda, bem perto do Capacete Histórico e a escassos metros da Catedral. Construída em 1949, tem sido objecto de sucessivas reformas, a última, em 2006. É parada de percursos nacionais e internacionais, bem como cabeceira de linhas provinciais.

Desde o ano 2005, Burgos conta com o chamado Transporte Metropolitano, um sistema de autocarros que une os municípios do alfoz com a capital. Consta de nove linhas, que oferecem serviço a mais de 15.000 habitantes de 51 municípios.[10]

Caminho-de-ferro

A cidade é considerada um eixo ferroviário de primeira ordem, pela qual circulam duas linhas, ambas geridas por Renfe : a linha Madri-Irún, e o caminho-de-ferro directo Madri-Burgos por Aranda de Duero.

Em 2010 , cumprem-se 150 anos da chegada do caminho-de-ferro à cidade, já que o primeiro comboio fez presença o 25 de outubro de 1860. Uniu Madri com a fronteira francesa e estava considerada como a principal via de comunicação ferroviária entre Espanha e Europa. Situada na metade do trajecto, Burgos cedo converter-se-ia em um importante nodo de comunicações entre o centro e o norte do país.

Desde dezembro de 2007 , a cidade está ligada com as principais capitais de província mediante o serviço de alta velocidade Alvia. Também dispõe de outros serviços de Longa Distância e em media Distância, que a ligam com os principais núcleos de população do país.

Ademais, a cidade conta com um Porto Seco, situado em Villafría , para o transporte de mercadorias. Cabe destacar uma dupla conexão semanal de duplo sentido com Barcelona.[11]

O 12 de dezembro de 2008 inaugurou-se a nova estação de caminho-de-ferro, baixo o nome de Burgos-Rosa de Lima, pertencente a Adif . Situada no bairro de Villímar , ao nordeste da cidade, está adaptada para a futura chegada da AVE, prevista para 2013.[12] A cidade será uma das as quatro paradas da linha de alta velocidade Valladolid-Burgos-Vitoria. Actualmente, todos os trechos entre Valladolid e Burgos se encontram em fase de obras, e se espera que a plataforma acabe de se construir em torno de 2012 .[13]

Situação da Alta Velocidade em Espanha. Burgos encontra-se em um eixo prioriotario do transporte ferroviário internacional, ao unir directamente França com Portugal e Espanha.

A AVE reduzirá notavelmente o tempo de viagem, conectándo a cidade com capitais de sua ao redor em curtos períodos de tempo, tais como:

Eléctrico

Tem-se projectada a implementação de um eléctrico na cidade, que percorreria o futuro bulevar, chamado oficialmente Avenida de Valencia. Compor-se-ia de uma linha de uns 12 km de longitude. Teria origem na estação de comboio e fim na universidade. Custaria entre 50 e 200 milhões de euros.

Devido à crise económica e imobiliária, o projecto tem sido estacionado de forma temporário até que se encontre o financiamento necessário.[14] Espera-se que durante o ano 2010 comecem as obras de urbanización do Bulevar, no qual reservar-se-á espaço para o transporte público, em princípio, autocarros urbanos, e eventualmente, para eléctrico ou outros meios.

Aeroporto

O 10 de julho de 2008 o aeroporto de Burgos começou a operar voos comerciais depois de sua completa remodelagem, na que se investiram cerca de 45 milhões de euros.

Apesar de sua recente inauguração e de ter entrado em funcionamento em plena crise económica, conseguiu superar em seu primeiro ano em número de passageiros comerciais a outros aeroportos espanhóis similares, como os de Vitoria , Logroño ou León.[15]

A instalação aeroportuaria localiza-se junto ao bairro de Villafría , a uns 4 km ao este da cidade. Em 2010 , os destinos ofertados são:

Durante a época estival, existem os seguintes destinos:

Durante 2010, ofereceram-se os primeiros voos chárter, com destinos como Menorca ou Canárias. Também se tem previsto ofertar destinos internacionais em diversas pontes ao longo de todo o ano, a cidades como Roma ou Praga.[16]

Economia e Indústria

Burgos conta com uma importante actividade empresarial. O número de centros de trabalho por 1.000 habitantes atinge uma média de 42,9, o que lhe situa acima de cidades como Valladolid, Vitoria, Zaragoza, Sevilla e da média nacional, e sua renda per capita supera em 12,5% a média nacional.[17] Sua situação geográfica envidiable e as novas infra-estruturas fazem da cidade um enclave empresarial de primeira ordem.

Dispõe de solo industrial amplamente consolidado, bem como uma grande expansão de futuro projectado no Parque Tecnológico de Burgos e o Centro de Actividades Económicas (CAI).[18]

Burgos é considerada uma cidade de carácter preminentemente industrial. A cidade experimentou sua primeira grande industrialización em 1964 , ao ser declarada Pólo de Desenvolvimento, concentrada em boa parte em torno do polígono de Gamonal e ao de Villalonquéjar.

Em 2007, Burgos empregava a 20.217 pessoas no sector (um 22% da população ocupada), convertendo-se no 2º foco industrial de Castilla e León em termos absolutos, só superada ligeiramente por Valladolid.[19]

Actualmente conta com uma grande superfície dedicada à indústria, repartida entre três polígonos industriais:[20]

Arquivo:Villalonquéjar Leste.jpg
Vista aérea da zona este do polígono industrial de Villalonquéjar .

Os Polígonos Industriais de Burgos reúnem ao redor de 1.500 empresas e suas conexões são inmejorables, todo isso rodeado como perfeita teia de aranha pelas novas infra-estruturas: o aeroporto, o comboio de alta velocidade e as novas rodadas.

A princípios de 2010 , tem começado a urbanización do Parque Tecnológico de Burgos, que ocupará uma parcela de 123,79 tem, e afectará a dois termos municipais, Burgos e Cardeñajimeno. Converter-se-á no parque tecnológico maior de Castilla e León, e albergará principalmente actividades tecnológicas de empresas em sectores tais como bens de equipa, robótica, automoción, novos materiais e agroalimentación. [21]

Escritórios centrais de uma das caixas com sede na cidade.

Ainda em fase de projecto, se tem prevista a construção do Polígono Industrial Burgos-Buniel, considerado de interesse regional. A superfie considerada inicialmente é de 1.033,54 hectares, o que supõe uma edificabilidad de 5.840.295 m². Nele poderiam trabalhar umas 30.000 pessoas. Afectará aos municípios de Albillos , Buniel, Burgos, San Mamés, Villagonzalo Pedernales e Villalbilla. Promovido por Mobart e Caixa Círculo, situar-se-á entre as autovías BU-30 (Circunvalación de Burgos) e A-62 (Autovía de Castilla) , prolongando ao sul desta última.

A cidade é sede de duas caixas de poupanças (Caixa de Burgos, Caixa Círculo) e uma cooperativa de poupança e crédito (Caixa Rural de Burgos).

Demografía

População

Os últimos dados recolhidos pelo INE 2009 apontam a que Burgos possui uma população de 178.966 habitantes, e engrossá a lista de grandes cidades espanholas. Esta cifra supõe o 47,65% da população total provincial,[2] ocupando dentro dela o primeiro posto demográfico, seguido de Miranda de Ebro e Aranda de Duero. Na comunidade de Castilla e León é a segunda cidade mais povoada, por trás de Valladolid e adiante de Salamanca . O gentilicio de Burgos é burgalés ou burgalesa.

A população da cidade tem experimentado um incremento considerável desde princípios do século XX, sobretudo após a guerra civil, e especialmente entre 1950 e 1980, devido em parte a um forte processo de industrialización produzido ao ser nomeada Pólo de Desenvolvimento Industrial.

O único decremento de população produziu-se nos anos 90, devido à crise e à migração de parte da população a municípios da área metropolitana e do alfoz. Em 2010 , espera-se que a cidade supere os 180.000 habitantes.

Gráfico da evolução demográfica de Burgos entre 1900 e 2008[22]

Fonte:INE
Gráfica elaborada por: Wikipedia


Evolução demográfica
1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 1995 1999 2003 2008 2009
30.167 31.489 32.301 40.061 60.425 74.063 82.177 119.915 156.449 169.111 166.251161.984 167.962177.879178.966

Área Metropolitana de Burgos

Municípios mais povoados do AM(2009)[23]
Posição Município População
Burgos178.966
Alfoz de Quintanadueñas1.787
Villagonzalo Pedernales1.529
Merindad de Rio Ubierna1.406
Cardeñadijo1.081
Arcos da Plana1.071
Villalbilla de Burgos946
Cardeñajimeno891
Tardajos843
10ªQuintanilla Vivar741
11ªVillariezo512
12ªCarcedo de Burgos329
13ªSarracín298
14ªSan Mamés de Burgos291
15ªSotragero254
16ªVillayerno Morquillas215
17ªSaldaña de Burgos185
Total: 191.345

Burgos conta com pequenas populações suas cercanias (em uma rádio de 10 km) que usam parte dos serviços de forma especial, puediéndose considerar como uma pequena área metropolitana. Todos eles pertencem ao alfoz da cidade, mas não todos estes estão incluídos. Entre eles cabe destacar a cinco que superam, a cada um, os 1.000 habitantes: o Alfoz de Quintanadueñas, Arcos da Plana, Cardeñadijo, Merindad de Rio Ubierna e Villagonzalo Pedernales. Formam, junto com a cidade, uma conurbación de 191.345 habitantes.

Arcos da Plana, um dos municípios da área metropolitana de Burgos com maior crescimento dos últimos anos.

A cercania com a cidade e o menor custo da moradia, tem feito que o crescimento demográfico siga mais ou menos paralelo ao da capital, como ocorreu em 2009.

Ademais, alguns destes municípios contam com o Transporte Metropolitano de Burgos, um serviço de autocarros que liga os municípios da área com a capital.

Ainda que alguns deles se encontram fora da circunvalación, a cercania temporária faz que dependam fortemente da capital. Seu reduzido tamanho não permite desenvolver alguns serviços, como o sanitário. Prevê-se que dentro de alguns anos, a cidade de Burgos absorva alguns destes municípios do alfoz, ou que se estabeleçam acordos em transportes ou tratamento de águas.

Administração

Em 2010, o Prefeito do município é Juan Carlos Aparicio Pérez, do Partido Popular, quem ocupa o cargo desde 2003 com maioria absoluta.

Nas eleições municipais de 2007 ,[24] dos 27 vereadores a eleger, o PP obteve 15 vereadores (com um 47,31% dos votos), o PSOE obteve 10 vereadores (com um 33,89% dos votos) e Solução Independente obteve 2 vereadores (com um 6,55% dos votos). Nem Esquerda Unida/Os Verdes nem Terra Comunera obtiveram representação municipal com o 4,62% e 1,94% dos votos respectivamente.

Lista de prefeitos desde as eleições democráticas de 1979
Mandato Nome do prefeito Partido político
1979–1983 José María Peña San Martín UCD
1983–1987 José María Peña San Martín AP-PDP-UL
1987–1991 José María Peña San Martín Aliança Popular
1991–1995 José María Peña San Martín (até 1992) / Valentín Menino Aragón PP / PP
1995–1999 Valentín Menino Aragón PP
1999–2003 Ángel Olivares Ramírez PSOE
2003–2007 Juan Carlos Aparicio Pérez PP
2007– Juan Carlos Aparicio Pérez PP
Fachada da subdelegación do governo em Burgos, no C/ Vitoria.

Outros entes localizados em Burgos são a subdelegación da Junta de Castilla e León que representa ao máximo órgão de governo da região na cidade, bem como a subdelegación do governo.

Também possui o edifício que alberga o Tribunal Superior de Justiça de Castilla e León, cuja sede está na cidade de Burgos.

Organização territorial

Em 1785 ficou dentro do partido de Burgos, um de de os catorze que formavam a Intendencia de Burgos, até a criação da província de Burgos em 1833 .

Próximos a Burgos existiram durante anos vários núcleos de população independentes que com o crescimento da cidade têm ficado aderidos como bairros. Estes foram as As Greves, Hospital do Rei, Villargámar e Gamonal de Riopico.

O município conta ademais com as localidades de Castañares , Cortes, Cótar, Villafría de Burgos, Villagonzalo-Areias, Villalonquéjar, Villatoro, Villayuda ou A Ventilla e Villímar.

Lugares de interesse

Arquitectura religiosa

Categoria principal: Iglesias de Burgos
Catedral de Santa María, vista desde a rua Fernán González.
Catedral de Santa María A Maior de Burgos
Artigo principal: Catedral de Burgos

Trata-se do edifício mais representativo da cidade. Sua construção começou em 1221 seguindo os padrões góticos franceses e concluída em 1260 . Teve importantísimas modificações nos séculos XV e XVI (agulhas da fachada principal, capilla do Condestable, cimborrio do cruzeiro: estes elementos do gótico avançado dotam ao templo de seu perfil inconfundível). Entre seus visitantes é muito popular por incomum o relógio do Papamoscas. Foi declarada em 1984 Património da Humanidade pela UNESCO.

Monasterio de Santa María a Real das Greves

Trata-se de um monasterio cisterciense fundado em 1189 pelo rei Alfonso VIII de Castilla. Faz parte do Património Nacional.

Cartuja de Santa María de Miraflores
Artigo principal: Cartuja de Miraflores

Conjunto monástico edificado a uns três quilómetros da própria cidade de Burgos. Foi fundado em 1441 pelo rei Juan II de Castilla, graças à doação que o próprio monarca realizou de um palácio de caça à Ordem cartuja, onde se instalaram até que um incêndio produzido em 1452 provocou a destruição do edifício. Em 1453 decidiu-se construir o conjunto que tem chegado a nossos dias, concebido para ser sepultura dos pais de Isabel a Católica.

Arquivo:San Gil Frontal.JPG
Entrada principal à igreja de San Gil. Após a catedral, é considerada a melhor mostra do gótico da cidade.
Igreja de San Gil Abad

De estilo gótico, seu maior interesse reside na colecção de retablos tardogóticos talhados por Gil de Siloé e Juan de Vallejo.

Igreja de San Esteban

De estilo gótico, o actual templo construiu-se sobre um antigo templo romano no final do século XIII e durante a primeira metade do século XIV.

Vista externa de San Nicolás.
Igreja de San Nicolás de Bari

Situada em frente à fachada principal da catedral. Foi Levantada em 1408 sobre outro templo romanico. Preside-a um dos retablos mais impressionantes e monumentales da Arte do Renacimiento Castelhano, realizado no século XV na oficina de Simón de Colónia, desenhado por ele e realizado por seu filho Francisco. Também de grande interesse são seus sepulcros góticos, o arco renacentista de María Saez de Oña e Fernando de Mena e as tabelas da Escola Burgalesa do Maestro de San Nicolás.

Convento de Santa Clara

Trata-se de uma construção gótica levantada principalmente ao longo do século XIII, um dos mais antigos da cidade. Actualmente encontra-se habitado por freiras clarisas.

Arquivo:A Antiga Gamonal 1.JPG
A igreja da Antiga, situada no populoso bairro de Gamonal .
Igreja de Santa María a Real e Antiga de Gamonal

Edificación gótica, iniciada no século XIV. Constituía a igreja do antigo povo de Gamonal . Possui planta de cruz latina, de uma única nave com transepto, abóbadas cuatripartitas (salvo no presbiterio) e ligadura longitudinal (espinazo), seguindo o modelo da catedral. Conta ademais com um pórtico aos pés e uma esbelta torre-campanario. A cruz de pedra do século XVI que presidia o cemitério anexo (hoje desaparecido) tem sido transladada uns jardins próximos ao pórtico. Entre seu decoración escultórica, sobresale o calvario e a típica iconografía jacobea.

Igreja da Graça
Artigo principal: Igreja da Graça (Burgos)

Monumento tardogótico dos séculos XV e XVI sito na Rua da Graça. Hoje em dia continua tendo um uso religioso como parroquia dos Pais Jesuitas, enquanto as antigas dependências conventuales, habitadas pelos Mercedarios durante mais de três séculos, estão hoje integradas em um negócio de hotelaria.

Igreja de San Cosme e San Damián

Edificación construída no século XVI a cavalo entre o gótico e o renacimiento. Destaca a portada de Juan de Vallejo, vários retablos e por ser lugar de enterro de destacados artistas burgaleses da época.

Arquivo:Igreja San Lesmes Exterior.JPG
Vista desde orlas do rio Veia da igreja de San Lesmes.
Igreja de San Lesmes
Artigo principal: Igreja de San Lesmes Abad (Burgos)

Trata-se de uma igreja gótica situada em pleno caminho de santiago. Nela se encontra enterrado San Lesmes, padrão da cidade.

Arquivo:San Lorenzo Fachada.JPG
Fachada principal de San Lorenzo, de estilo barroco.
Igreja de San Lorenzo

Barroca, de finais do século XVII. Anteriormente pertenceu aos Jesuitas.

Monasterio de San Juan
Artigo principal: Monasterio de San Juan

Situado em um dos extremos da Praça de San Juan, se trata de um edifício construído no século XI e reconstruído em ocasiões posteriores. Foi declarado Monumento Histórico Artístico em 1944. Tinha função de hospital de peregrinos, e pertencia à ordem benedictina. Conservam-se fragmentos da igreja do século XV e da sala capitular do XVI.

Conserva um claustro renacentista, no que se encontra um museu que exibe as obras do pintor burgalés Marceliano Santa María.

Palácio Arzobispal
Artigo principal: Palácio Arzobispal de Burgos

Edifício construído em 1916 em estilo neorrenacentista, depois de ter derrubado o primitivo medieval, e situado colindante com a catedral. Foi mandado construir o arcebispo José Corrente Eleta aos arquitectos Julián de Apráiz e Javier Luque, quem optaram por um estilo historicista. Destacam seus balcones nos cantos, as vidrieras, o Salão do Trono, e em general toda seu decoración interior. Encontra-se situado entre o Passeio do Espoloncillo e a catedral.

Arquitectura civil

Arco de Santa María
Artigo principal: Arco de Santa María

É um dos monumentos mais emblemáticos de Burgos. Trata-se de uma das antigas doze portas de acesso à cidade na Idade Média, reconstruída como arco em honra de Carlos I de Espanha. Comunica a ponte de Santa María, sobre o rio Arlanzón, com a praça de San Fernando, onde se yergue a catedral.

Ruínas da porta sul do Castillo de Burgos.
Castillo de Burgos
Artigo principal: Castillo de Burgos

Encontra-se localizado no cerro de seu nome elevado a 75 m sobre o nível da cidade. Levantado pelo conde Diego Porcelos nos tempos da Reconquista, no ano 884.[25]

Hospital de Rei

Situado junto ao Caminho de Santiago a seu passo por Burgos, foi fundado por Alfonso VIII em 1195 . Dependente do Monasterio de Santa María a Real das Greves, constituía um grande centro de acolhida de peregrinos.

Vista do Palácio de Castilfalé, actualmente sede do Arquivo Municipal da cidade.
Palácio de Castilfalé
Artigo principal: Palácio de Castilfalé

Em frente à porta da Coronería da catedral, levantou-se a casa da Colónia, na segunda metade do século XV. Sobre o solar da mesma, Juan Vallejo iniciou a construção de um palácio adquirido em 1565 por Andrés de Maluenda. Ainda que o edifício, feito de pedra e tijolo, como era habitual na arquitectura doméstica burgalesa, foi transformado por seus sucessivos proprietários; o último, no século XX, foi o conde de Castilfalé. Foi residência ocasional de personalidades como o rei Fernando VII e de Napoleón Bonaparte. Cedido por seus últimos proprietários, os condes de Castilfalé, à Prefeitura de Burgos em 1969 , foi restaurado e rehabilitado como Arquivo Municipal, em 1985 .[26]

Palácio da Diputación Provincial de Burgos
Artigo principal: Palácio da Diputación Provincial de Burgos

Alberga a sede de dito governo. Trata-se de um edifício neoclásico que data de princípios do século XX. Sua restauração foi finalizada em 2008.

Arquivo:Palácio Capitanía Fachada.JPG
Vista frontal do edifício de Capitanía, em pleno centro histórico da cidade.
Palácio de Capitanía Geral
Artigo principal: Palácio de Capitanía Geral (Burgos)

Serviu de base militar durante o levantamento da guerra civil. Desde ele, Franco foi declarado Chefe Superior dos Exércitos de Espanha. Ainda que o edifico está actualmente em desuso, em um futuro albergará dependências da subdelegación de Defesa na cidade.

Casas de Miranda e De Íñigo Angulo
Artigo principal: Museu de Burgos

Em suas dependências encontra-se o museu provincial, antigo Museu Arqueológico, que se levanta em dois palácios contíguos do século XVI. Destaca o pátio de Casa de Miranda com galerías suportadas.

Fachada sul do Palácio dos Condestables, situado na praça do Mercado Menor.
Palácio dos Condestables de Castilla
Artigo principal: Casa do Cordão (Burgos)

Também conhecido como a Casa do Cordão, se trata de um antigo palácio renacentista originario do século XV que se alça no capacete histórico de Burgos. Seu promotor foi o Condestable de Castilla dom Pedro Fernández de Velasco. O desenho inicial é atribuíble a Juan de Colónia e a seu filho Simón e trata-se de um edifício civil de estilo gótico tardio. Como acredita uma inscrição em sua fachada, o edifício recebeu a Cristóbal Colón após sua segunda viagem às américas.

Palácio da Ilha
Artigo principal: Palácio da Ilha (Burgos)

Foi a residência do Chefe do Estado durante a contenda civil de 1936 a 1939. Tem tido numerosas funções até converter na sede oficial do Instituto da Língua de Castilla e León. Desde ele se deu a ordem de dar por finalizada a Guerra Civil. Possui ademais o primeiro elevador que se instalou na Comunidade.

Antiga estação de caminho-de-ferro da cidade, chamada Estação do Norte. O edifício albergará em um futuro a Cidade das Artes.
Estação de Caminho-de-ferro de Burgos
Artigo principal: Estação de Caminho-de-ferro de Burgos

Foi mandada construir em 1901 por parte da companhia Norte, que substituiu à estação provisória, a qual levava 40 anos em funcionamento, desde a chegada do caminho-de-ferro à cidade o 25 de outubro de 1860 . A companhia encarregou o desenho da obra ao engenheiro de caminhos franco-espanhol Enrique Grasset e Echevarría. Mal em um ano mais tarde se inaugurava o edifício de viajantes que, ao igual que na maioria de estações de Norte, estava formado por três partes diferenciadas: pavilhão central com vestíbulo, venda de bilhetes e alguns escritórios; um corpo lateral esquerdo, com salas de espera e correio de Correios (ainda que posteriormente construir-se-ia outro edifício para o serviço postal); e um corpo lateral direito, com sala de bagagens, cantina e alguns despachos de maquinistas, vigilantes ou pessoal de Norte. O edifício, de algo mais de 92 metros, está composto de pedra e tijolo, com coberta de teça plana negra. Já não recebe os comboios, desde que em 2008 se desviou a circulação ao norte, à nova variante ferroviária, e se construiu a nova estação de caminho-de-ferro. Actualmente, encontra-se em processo de reabilitação, para em um futuro próximo constituir a Cidade das Artes.

Praça do Cid
Artigo principal: Praça do Cid

Praça situada em frente do Teatro Principal, entre a rua Vitoria e a Ponte de San Pablo. No centro alça-se uma figura de bronze do Cid Campeador, construída para 1960.

Ponte de San Pablo
Artigo principal: Ponte de San Pablo (Burgos)

Ponte construída em pedra que une a parte sul da cidade com a Praça do Cid. Encontra-se enfeitado com diferentes esculturas relacionadas com a vida do Campeador.

Praça de San Juan
Artigo principal: Praça do San Juan

Colindante com a antiga muralha, na zona este, se encontra esta praça, uma das mais emblemáticas da cidade. Possui uma configuração que pode se denominar italiana, ao combinar uma ponte (sobre o rio Veia), uma igreja (igreja de San Lesmes), um monasterio (o Monasterio de San Juan), um edifício público (a antiga biblioteca municipal, actualmente em obras) e uma estátua (a de Diego Porcelos). Ademais, é atravessada pelo caminho de santiago.

Monumentos desaparecidos

Convento de San Pablo

No solar que ocupava se está a edificar na actualidade o Museu da Evolução Humana. Durante o século XX utilizou-se como edifício militar, e depois até 2005 se utilizou como parking de superfície.

Convento da Santísima Trinidad
Monasterio de San Francisco

Situado cerca da igreja de San Gil, actualmente só fica um eficio em ruínas, rehabilitado recentemente para evitar seu derrube.

Convento do Carmen
Artigo principal: Convento do Carmen (Burgos)

Outros lugares de interesse

Passeio do Espolón
Artigo principal: Passeio do Espolón

É o passeio arbolado e ajardinado mais central e popular de todos os parques de Burgos. Surgiu no final do século XVIII e foi-se configurando durante o século XIX. Liga o Arco de Santa María com o Teatro Principal e está considerado "o salão" da cidade.

Passeio da Ilha

Este passeio, situado à orla do rio Arlanzón, em um terreno de uma ilha formada entre o rio e os canais da cidade, é considerado um verdadeiro jardim botánico.

Arquivo:Praça Maior Burgos.JPG
Vista desde o entrada norte da Praça Maior.
Praça do Mercado Menor
Artigo principal: Praça do Mercado Menor

Comummente conhecida como a Praça Maior. Trata-se de uma construção em forma de perímetro irregular, situada colindante ao passeio do espolón, em pleno capacete velho. Primeiramente chamada praça de mercados semanais, concedidos pelos reis Fernando o Católico e Carlos I, converteu-o no maior centro de actividade comercial de Burgos. Nela se abria a Porta das Carretas, por onde entravam as carroças aos mercados que abasteciam a cidade e em seu contorno se distribuíam os postos de venda, baixo os soportales que rodeiam a praça. Com a reforma acaecida em 1791, produziu-se a definitiva implantação como centro administrativo da cidade. Derrubou-se a porta das Carretas e a muralha contígua, dando luz verde para que se fossem construindo novos edifícios, alinhados com o meio da praça mediante fachadas porticadas. Desta maneira, ficava ao sul, fora da muralha e junto ao rio e o passeio, a estrada que unia a França com Madri e ao norte o espaço mercantil.

Praça do Mercado Maior
Artigo principal: Praça do Mercado Maior

Situada em frente da Casa do Cordão. Durante a Idade Média, constituía o principal ponto de comércio da cidade. Foi partida em duas praças a primeiros do século XIX com a construção dos soportales de Antón.

Arquivo:Praça Flora Vista Oeste.JPG
Praça da Plana de Afora, com a catedral ao fundo.
As Planas
Artigo principal: As Planas

Com este nome conhece-se a um espaço do capacete histórico da cidade, compreendido entre a catedral, a rua Laín Calvo e a muralha. Compreende um conjunto arquitectónico de traça medieval, formado por igrejas, casas, arcos e praças. Actualmente, é uma das zonas de festa da cidade, frequentada principalmente os fins de semana por jovens e universitários.

Fachada da Prefeitura, durante a celebração dos Sampedros.
Prefeitura
Artigo principal: Prefeitura de Burgos

Edificado em 1787, alberga a sede da Prefeitura da cidade. Ao igual que outros eficios colindantes a ele, foram desenhados por Ventura Rodríguez, e constituem um singular exemplo do neoclasicismo espanhol. Umas marcas nos soportales inferiores indicam o nível ao que chegaram as águas em diferentes datas, devido às fortes chuvas, que fizeram crescer o volume do Arlanzón até desbordarlo.

Muralhas
Artigo principal: Muralhas de Burgos

A cidade encontrava-se completamente amurallada desde ao menos no século XIII. Devido ao alargue burgalés dos séculos XIX e XX, parte dos muros derrubaram-se. Actualmente, conservam-se numerosos restos dela, entre os que destacam:[27]

Arco de San Gil, uma das antigas entradas à cidade pelo norte.
Arquivo:San Gil Lateral.JPG
Lateral da igreja de San Gil, que dá continuidade à antiga muralha.

Cabe destacar a função de parte da própria igreja de San Gil, cujo lado norte segue o traçado da muralha da cidade. É uma das mostras do carácter defensivo que tinham igrejas e outros elementos arquitectónicos na idade média.

Parques e zonas verdes

A maioria de parques da cidade de Burgos encontram-se nos arredores do Rio Arlanzón. Precisamente, as riberas do próprio rio constituem um corredor verde ao longo da cidade.

A cidade desde o olhador do castelo.
Parque do Castillo

É um dos pulmões da cidade. A cidade foi crescendo pela saia sul do Cerro do castelo. Progressivamente, os bairros altos foram desaparecendo. Depois da voladura do próprio edifício, localizaram-se instalações militares. Nos anos cinquenta, o engenheiro Mariano Jaquotot, que mais tarde seria Prefeito, decide povoar o monte do Castillo, que até o momento tinha permanecido totalmente nu. Abarca o Monte do Castillo e o Cerro de San Miguel, onde se encontram os Depósitos de Águas. Aparte das ruínas do Castillo, encontra-se neste parque o Centro de Conservação de Aves. Também dispõe de zonas recreativas para meninos e para praticar exercício. Assim mesmo, há uma zona aterrazada com jardins e uma fonte ornamental. O mais destacable do parque é o Olhador, desde o qual se obtém uma grande panorámica da cidade, especialmente da catedral. Uma cartela metálica no corrimão permite identificar os lugares mais característicos da cidade.

Fontes Brancas
Artigo principal: Fontes Brancas

Situado águas acima do rio Arlanzón, encontra-se na zona este da cidade. É um parque de grande extensão, com zonas recreativas, uma praia artificial no rio e um circuito de bicicletas. Nesta área encontra-se a Cartuja de Miraflores. Seu nome prove das numerosas fontes que tem (do Prior, da Teça, da Saúde e dos Castaños).

Parque do Parral

Situado quase enfrente do Passeio da Ilha, situa-se entre o Monasterio das Greves e o Hospital do Rei.

Parque da Quinta

Trata-se de um jardim botánico. Possui ademais um passeio que liga Fontes Brancas com o centro da cidade.

Corredor principal do Passeio da Ilha, um dos parques mais emblemáticos da cidade.
Passeio da Ilha

Encontra-se na margem direita do Arlanzón. É um passeio de corte romântico. Dispõe de grande variedade botánica, bem como de monumentos. Assim, se pode encontrar um busto de Miguel de Cervantes, os Arcos de Castilfalé, a fonte do Monasterio de San Pedro de Arlanza, a portada da ermita románica de Cerezo de Rio Tirón, bem como uma grande fonte-cascata.

Seu nome prove da forma em islotes que possuía o parque em tempos da ocupação francesa, já que devido ao Arlanzón existiam uma série de pequenas ilhas entre o curso do rio.

Parque de Félix Rodríguez da Fonte

Entre os bairros de Capiscol e Gamonal, tem sido ampliado recentemente. Dispõe de um estanque, zonas recreativas e um monumento ao naturalista pozano.

Parque Linear do Rio Veia

Configura-se através de remodelagens nas orlas do rio Veia. Arranca na praça de Espanha e chega à zona Este da cidade.

Passeio do Espolón
Passeio do Espoloncillo

Situado à altura do Espolón, mas na outra orla do rio.

Urbanismo

Burgos nasceu a partir das pequenas edificaciones que foram surgindo ao redor das laderas do Castillo, pelo que as zonas mais antigas da cidade se encontram entre este cerro e o rio Arlanzón.

Praça Espanha, com o edifício Feygon à direita.

A princípios do século XX começou o Alargue. Criaram-se grandes avenidas, que hoje distribuem grande parte do tráfico da cidade. Pode considerar-se a Praça Espanha como o centro neurálgico, pois dele partem a Avenida da Paz, a Avenida do Cid e a Avenida de Reis Católicos. É também a principal parada de numerosas linhas de autocarro urbano, distribuídas em torno da rotonda dos delfines.

Fim da Avenida do Cid, à altura do Parque das Avenidas.

Em 1970 construiu-se o edifício residencial mais alto da cidade, o Feygon. Conta com 16 plantas e algo mais de 70 metros, só por trás da Catedral, que segue sendo o edifício mais alto, superando com suas agulhas os 80 metros. Não foi até 1978 quando se construíram mais edifícios dessas alturas, as chamadas torres de ‘Carrero Blanco’, na zona da Veia.[28] Encontram-se em projecto umas torres no meio da futura cidade da AVE, que chegarão até as 25 plantas. Também no meio da velha estação está contemplada uma torre de 20 plantas.

Declaração de pólo de desenvolvimento e anexión de Gamonal. Desarrollismo e crescimento espectacular da população. O C/ Vitoria é uma das mais longas da cidade, atingindo os 3,5 km, ligando Gamonal com o centro. Será amplamente superada pelo Bulevar, atingindo os 12 km.

Arquivo:Veia e RRCC.JPG
Avenida Reis Católicos, dividida pelo rio Veia, em sua confluencia em praça Espanha.

Durante os anos 60 e 70, criaram-se algumas das principais arterias de tráfico da cidade, como a Avenida do Cid, Avenida Cantabria, Avenida Reis Católicos e Avenida da Paz, as quais distribuem boa parte do tráfico da cidade, e as quais partem de uma mesma origem, em praça Espanha.

Desvio ferroviário e Bulevar

Em 2008 , desviou-se o traçado do caminho-de-ferro ao norte da cidade, colindante com o polígono de Villalonquejar, passando pelas inmediaciones de Villatoro, até um túnel que acede à nova estação de caminho-de-ferro, ao nordeste da cidade, cerca da BU-30. Graças a ésto, se eliminio o tráfico ferroviário pelo centro, evitando atropellos e o passo de centos de comboios ao dia que bloqueavam o passo da zona norte até algumas partes da zona sul durante dezenas de minutos.

No ano 2010, têm começado as obras de urbanización do novo eixo transversal da cidade, a chamada Avenida de Valencia, que com suas mais de 12km de longitude, percorrerá o antigo traçado do comboio a seu passo pela cidade. Suporá a maior transformação urbanística sofrida pela cidade em sua história, e unirá a zona norte com a zona sul, criando a seu passo parkings, zonas verdes, e carriles para transporte público dedicados.

Cidade da AVE

Este sobrenombre de cidade, faz referência ao novo planejamento urbanística que surgiu devido à abertura da rodada interior norte e à inauguração da nova estação de caminho-de-ferro. Trata-se de uma zona residencial e de serviços, que em um futuro estará ligada ao bulevar, e que possuirá shoppings, amplos parques, e que possuirá um bom acesso ao futuro complexo asistencial.

Desporto

Clubes desportivos

Burgos Clube de Futebol
Artigo principal: Burgos Clube de Futebol

Fundado em 1922 e refundado em 1994 , é a equipa de futebol da cidade de Burgos. É um dos clubes históricos de Espanha, já que chegou a competir em Primeira Divisão durante 6 temporadas. Numerosos problemas económicos levaram-lhe a seu desaparecimento em 1983 e a criação de outros clubes como o Real Burgos Clube de Futebol, que hoje em dia também não compete mas que também chegou a estar na década dos noventa 3 temporadas em Primeira Divisão. Em 1994 levou-se a cabo a refundación do clube, o qual chegou a estar uma temporada em Segunda Divisão mas de novo os problemas económicos fizeram que o clube baixasse de categoria. Actualmente milita em Terceira Divisão.

A equipa treina e compete no Estádio Municipal do Plantío, com capacidade para 12.200 espectadores, todos eles sentados, após ter sofrido várias remodelagens.

Partido de voleibol em polideportivo do Plantío.
Clube Voleibol Diego Porcelos

Trata-se do clube de voleibol da cidade e actualmente milita em Superliga feminina. Foi fundado em 1976 . Compete baixo o nome de Universidade de Burgos.

Clube Basquete Atapuerca
Artigo principal: Clube Basquete Atapuerca

É o clube de basquete de Burgos e actualmente milita na Adecco LEB Ouro. Compete baixo o nome de Ford Burgos.

UBU Ferroplas Aparejadores RC
Artigo principal: UBU Ferroplas Aparejadores RC

Clube oficial de rugby da cidade. Fundado em 1970, conta com uma placa de bronze da Federação espanhola de rugby de 1996.[29] Em 2009 compete na Primeira Regional de Castilla e León. Seu campo encontra-se no complexo desportivo San Amaro.

Clube Basquete Cidade de Burgos

Clube de basquete feminino da cidade. Fundado em 1996. Actualmente milta em une-a Feminina 2. Compete baixo o nome de Arranz Jopisa Burgos.[30]

Outros clubes

Ademais na cidade existem equipas de atletismo, basquete, tênis, natación, esgrima, waterpolo e uma longa lista de desportos que competem em outras categorias.

Eventos desportivos

Previdência

A cidade de Burgos conta com 4 grandes centros sanitários de titularidad pública, geridos pelo Serviço Castelhano-Leonés de Saúde (Sacyl).

Vista das obras do Novo Hospital de Burgos, que será inaugurado no final de 2010.

Na actualidade, está a construir-se um novo hospital, que substituirá ao General Yagüe, em regime CPP (colaboração Público-Privada) que terá titularidad da Junta de Castilla e León com uma concessão a um consórcio de empresas que participam de sua construção, durante um determinado número de anos para sua exploração e gestão de diferentes serviços, ao igual que os criados na comunidade de Madri recentemente.[31]

Ademais a cidade conta com numerosos centros de saúde e existe também, um posto permanente de Cruz Vermelha Espanhola, 114 farmácias[32] repartidas por diferentes pontos do capacete urbano.

Meios de Comunicação

Imprensa escrita

Burgos conta com um jornal local, o Diário de Burgos, o mais lido na cidade, que ademais inclui informação de carácter provincial. Junto com O Mundo distribui-se o Correio de Burgos e também existem vários jornais gratuitos como Gente, de atirada nacional, Praça Maior e 7N notícias e classificados.

Rádio

Rádio Arlanzón.

Televisão

Canal 54 e CyL8.

Cultura

Educação e Investigação

Arquivo:Hospital Do Rei UBU.JPG
Sede do rectorado da Universidade de Burgos, antigamente foi um hospital.
Universidade de Burgos
Artigo principal: Universidade de Burgos

Abreviadamente conhecida como a UBU, se trata de uma universidade pública, dependente da Junta de Castilla e León. Foi criada em 1994 como escisión da Universidade de Valladolid, a partir do campus que esta tinha na cidade de Burgos. Tem sua sede no Hospital do Rei, situado junto ao Caminho de Santiago a seu passo por Burgos, e foi fundado por Alfonso VIII em 1195 . É a mais jovem das 4 universidades públicas da Comunidade, a mais pequena em número de alunos (actualmente, conta com uns 9.000).[33]

Universidade Internacional de Castilla e León
Artigo principal: Universidade Internacional de Castilla e León

Com sede na cidade, trata-se de uma universidade privada on-line que se encontra em criação. Pretende oferecer educação a distância e manter vínculos com a comunidade hispano-lusa.[34] Esta Universidade tem sido promovida por Campus Educativo de Castilla e León.[35]

Arquivo:Palácio Ilha Lateral.JPG
Vista lateral do Palácio da Ilha, o qual alberga a sede do Instituto Castelhano e Leonés da Língua.
Instituto Castelhano e Leonés da Língua

Fundação patrocinada pela Junta de Castilla e León que tem como objectivos difundir e promover o uso e conhecimento do idioma castelhano, bem como promover e apoiar a formação do profesorado de castelhano em todos os graus de ensino. Tem sua sede no Palácio da Ilha.

CENIEH

Trata-se de um centro de investigação inaugurado em 2004 que tem como objectivo dar a conhecer à sociedade a investigação que se realiza sobre a evolução humana ao longo da história. Impulsiona e apoia de diferentes formas as excavaciones em yacimientos, tanto espanhóis como em diferentes países africanos e euroasiáticos. Em 2009 foi inaugurado sua nova localização contígua ao MEH, no que já trabalham dezenas de pesquisadores procedentes tanto do âmbito nacional como do internacional.

Museus

Categoria principal: Museus de Burgos
Vista exterior do Museu de Burgos.
Museu de Burgos
Artigo principal: Museu de Burgos

Antigamente conhecido como Museu Arqueológico Provincial, tem suas dependências em dois palácios contíguos do século XVI, a Casa de Miranda e a Casa de Íñigo Angulo, formando uma maçã entre as ruas Calera e Miranda. As colecções do Museu têm uma procedência exclusivamente burgalesa, por origem ou destino, e mostram a evolução histórica e cultural da província.

Museu de Teias Medievales

O Museu de Teias Medievales, situado no Monasterio das Greves Reais de Burgos, é um museu que alberga indumentaria civil medieval feminina, masculina e infantil dos séculos XI, XII, e XIII. Ainda que o conjunto de peças encontradas está formado por uns 300 elementos, a exposição está formada por 51 peças sobre as que se realizou uma exhaustiva tarefa de restauração e limpeza. Uma das peças que mais llamativas e de grande valor histórico é o pendón das Navas de Tolosa. O bom estado de conservação dos tecidos, atribuído à alta qualidade da seda, tem permitido sua conservação, convertendo na colecção mais importante do mundo destas características. [36]

Vista exterior da igreja de San Esteban, que acolhe o Museu do Retablo, situado nas saias do Castillo.
Museu do Retablo
Artigo principal: Museu do Retablo

Este museu pertence ao Arzobispado de Burgos e reúne retablos do século XV ao século XVIII procedentes de diversas localidades da província de Burgos. Encontra-se situado no interior da igreja de San Esteban, actualmente sem culto. Também alberga peças de orfebrería da época.

Museu Catedralicio
Artigo principal: Museu Catedralicio de Burgos

Trata-se de um conjunto de espaços no interior da catedral, que possui multitiud de obras boa parte procedentes de diversas capillas que, por razões fundamentalmente de segurança e conservação, se expõem neste espaço museístico, ao qual se acede desde o claustro alto. O museu conta também com obras que abarcam desde a orfebrería até os tapices e pinturas, todo exposto ao longo de quatro capillas e da Sala Capitular. Entre a multidão de obras importantes que alberga, destaca o documento da carta de arras do Cid Campeador.

CAB

Um edifício de corte moderno situado em frente à igreja de San Esteban. O edifico está composto por três originais volumes que se assomam à cidade e sugerem um permanente diálogo com ela. Dispõe de vários espaços expositivos intercomunicados mediante passarelas desde as que se divisam sugerentes vistas urbanas, além de outros situados em plantas inferiores. Alberga colecções permanentes e temporais de arte contemporâneo.

Vista lateral do futuro complexo, actualmente em obras.
MEH
Artigo principal: Museu da Evolução Humana

Começado a construir em 2006 , o MEH está chamado a ser o museu mais importante sobre a evolução humana no mundo.[37] Nele expor-se-ão os achados do yacimiento da Serra de Atapuerca. Sua inauguração está prevista para o 13 de julho de 2010. O meio inclui o CENIEH, Centro Nacional de Investigação sobre a Evolução Humana, já em funcionamento, além do futuro Auditório e Palácio de Congressos de Burgos que será inaugurado o primeiro trimestre de 2011.

Museu Fadrique de Basilea
Artigo principal: Museu Fadrique de Basilea

Trata-se do museu do livro e imprenta da cidade, o qual espera ser inaugurado em maio de 2010.

O nome do museu, faz referência a Fadrique de Basilea, também conhecido como Fadrique Alemão, o que foi o mais renomeado impresor burgalés do século XV. Exerceu sua profissão em Burgos durante 30 anos, deixando importantes impressões, como a primeira edição da Celestina.[38]

O projecto de museu nasceu das mãos da Editorial Siloé, que pretende criar um espaço no que se narre, com instâncias originais e facsímiles, a história do livro desde o nascimento da escritura até as edições actuais.

Museu Marceliano Santa María
Artigo principal: Museu Marceliano Santa María

Situado no monasterio de San Juan, mostra de forma permanente um amplo repertorio de quadros do pintor burgalés Marceliano Santa María. Foi inaugurado o 29 de junho de 1966 , a partir de uma série de quadros doados por sua família, entre os que destacam retratos, quadros de história e de paisagens castelhanos.

Museu Militar
Artigo principal: Museu Militar de Burgos

Forma um dos 8 museus que o exército possui em Espanha .[39] Situado na parte nobre da Academia de Engenheiros do Exército em sua etapa burgalesa, seus fundos museísticos recordam uma parte da História Militar do país. A exposição está dividida em quatro salas: bandeiras, miniaturas, armamento e transmissões.[40]

Equipamentos culturais

Bibliotecas
Centros Cívicos
Vista exterior do Hangar, situado na zona da antiga estação de comboios da cidade.
O Hangar
Artigo principal: Centro de Criação Musical O Hangar

Localizado no antigo depósito de locomotoras da Estação de Caminho-de-ferro, é um espaço destinado a sala de ensaios para grupos musicais locais e para concertos de música. Foi inaugurado em 2009 , e tem conseguido situar-se como centro de referência do panorama musical do norte de Espanha . Conta com seu próprio selo musical, e oferece conteúdo musical muito variado, que vai desde o rock até a música electrónica.

Monasterio de San Agustín

Depende da Diputación Provincial. Localiza-se na rua Madri, na zona Sur. É um edifício moderno que conserva os restos do antigo monasterio. Nele se encontra o Arquivo da Diputación Provincial, o Consórcio Caminho do Cid e a Biblioteca de Castilla e León, situada em uma ampla e luminosa sala de leitura.

Outros

Gastronomia

Cordeiro, cochinillo, morcilla e vinho, platos típicos da cozinha burgalesa.

A gastronomia burgalesa tem como platos típicos aqueles de componente pesado, isto é, platos de carne e legume principalmente. Cabe destacar a morcilla e o queijo de Burgos como platos típicos da cidade ao igual que na província. Também o cordeiro asado, a sopa castelhana e as alubias ou caparrones são outras das especialidades de Burgos. Mas sem dúvida o plato mais famoso da cidade é o chamado ollapodre , que é um cocido de alubias , morcilla, chorizo, costilla, panceta e outros produtos cárnicos procedentes do porco.

Rua de San Lorenzo, uma das mais emblemáticas da cidade para a prática do tapeo.

Ainda que a cidade não se encontre em uma zona com denominação de origem, o vinho é peça fundamental dentro da gastronomia local graças à cercania dos caldos com denominação de Origem Ribera do Duero, Arlanza e Rioja.

Ao igual que ocorre em outras zonas do norte de Espanha, em Burgos também é frequente tomar tampas como aperitivo ou sustición de comida ou jantar. As zonas de tapeo mais frequentes são as próximas à Praça Maior, como são a rua de San Lorenzo ou a rua Sombrerería, entre outras.

Itinerarios culturais

A cidade tem sido desde tempos remotos uma encrucijada de caminhos. Já desde a época romana, existiram numerosas calçadas, que ligavam a zona com outras partes do império. Uma vez entrada a Idade Média e com a fundação da cidade, Burgos foi um lugar estratégico pelo que se realizava boa parte do comércio castelhano. Também cabe reseñar a importância da cidade ao se encontrar no principal eixo de comunicação entre Madri e França, o chamado eixo norte, um dos mais transitados do país, que converte a Burgos em uma cidade de passagem e nodo de caminhos.

O principal albergue da cidade, situado na Casa do Cubo, possui uma capacidade para albergar a 130 peregrinos. [41]

Burgos é atravessada pelo Caminho de Santiago Francês. Conta actualmente com 3 albergues de peregrinos: a Casa do Cubo, de propriedade municipal, o de Emaús, e o de Santiago e Santa Catalina.

Ademais, a cidade é etapa do Caminho do Desterro ou Caminho do Cid. A capital burgalesa conta com numerosos elementos que recordam a figura do caballero castelhano como o Arco de San Martín, o Castillo de Burgos, a Igreja de Santa Águeda ou o Arco de Santa María. A cidade também alberga importantes obras pictóricas cidianas como os grandes liezos de Vela Zanetti que se exibem na cúpula do Palácio da Diputación Provincial de Burgos e outras arquitectónicas como as oito estátuas, obra do escultor Lucarini, que há sobre a Ponte de San Pablo e que representam aos amigos do Cid Campeador.

Por último, Burgos é a 13ª população pela que passa a Rota de Carlos V. O rei pernoctó na cidade, e foi então quando se inaugurou em sua honra a nova portada do Arco de Santa María.

Festividades e eventos

Gigantones nas festas de San Pedro.
Danzantes na praça maior.

São muitas as festas e feiras que se celebram em Burgos ao longo do ano. A primeira delas é a de San Antón, que se celebra o 17 de janeiro; nesse dia realiza-se no bairro de Gamonal uma comida popular e gratuita a base de titos.

O domingo mais próximo ao 30 de janeiro celebra-se as festas ao padrão da cidade, San Lesmes. A origem francesa do antigo abad do monasterio de San Juan propiciou o hermanamiento de Burgos com sua localidade natal, Loudun. A celebração consiste na oferenda ao santo, por parte do prefeito, de um cirio e um rosco de pan. Depois do acto religioso a festa continua na praça de San Juan na que se degustan o chorizo, a morcilla, o vinho e os roscos de pan que se oferecem ao santo (bencedidos). A prefeitura oferece gratuitamente chorizo e morcilla aos assistentes na praça de San Juan e na praça Espanha.

O último fim de semana de maio celebra-se a romería da Virgen Branca que se fazia coincidir com um mercado medieval que deixou de celebrar no ano 2005. A romería consiste em levar à virgen desde a igreja de San Pedro da Fonte até a explanada do castelo, lugar onde se encontrava o anterior templo que albergava a imagem e que foi destruído em 1813 .

A festividade mais antiga de Burgos é o Curpillos, que se celebra na sexta-feira seguinte ao Corpus Christi. Também é conhecida como No dia do Parral já que se celebra no lugar de nome homónimo. A festa começa no Monasterio das Greves realizando uma procissão com o Pendón arrebatado ao chefe moro Miramamolín depois da vitória da Batalha das Navas de Tolosa. Depois da celebração civil e religiosa realiza-se uma romería no Parral. Nesta festa popular os peñistas instalam postos de venda de bebida e comida (chorizo, morro, morcilla, tortilla...) à venda para todo o público assistente. Em 1953 a Prefeitura declarou a festa do Curpillos como festiva por aclamación popular.

Mas a principal festa de Burgos é a de San Pedro e San Pablo celebrada o 29 de junho. Esta festa celebra-se em junho desde medievo em forma de feira, a qual se delebraba desde o dia de San Juan até o dia de San Pedro e San Pablo, pese a que as festas maiores eram as do Santísimo Cristo de Burgos e a Virgen Branca celebradas em setembro; tendo como dia grande no dia da Santa Cruz o 14 de setembro, mas em 1873 se criou uma Comissão de Festejos que decidiu celebrar em uma época mais calurosa e com maior possibilidade de afluencia de público. O primeiro acto oficial é o pregão de festas, realiza-se desde a prefeitura com sua correspondente bomba aunciadora. Durante a semana de festas, a meio dia, no centro da cidade, celebra-se um pasacalles com dance-los de gigantillos, gigantones e danzantes, finalizando com o canto do Hino a Burgos.Outro dos actos tradicionais é A Cabalgata que consiste em fazer um percurso ao longo das ruas da cidade com várias carrozas elaboradas pelas peñas, e através de um concurso se elege à melhor.No dia de San Pedro além da missa solene celebra-se a tradicional oferenda floral a Santa María a Maior sendo a segunda mais antiga de toda Espanha por trás de Valencia. Nas festas destaca sobretudo o Concurso Internacional de Fogos Artificiais,os concertos de numerosos artistas tanto nacionais como internacionais além das actividades para meninos e das actividades de rua. Todas as tardes há corridas de touros no Costuro do Plantío e concurso hípico de saltos na Cidade desportiva. As festas acabam com o Burgalés ausente, uma romería no parque de Fontes brancas na que rende homenagem aos burgaleses que emigraram e que regressam à cidade pelas festas.

Outro evento de menor importância é a celebração do Obispillo que coincidindo com o Dia dos Inocentes, o 28 de dezembro, um menino vestido de bispo intervém em diferentes actos.

Desde o ano 2005, tem lugar na cidade o festival de música electrónica Electrosonic, que em sozinho 4 edições tem conseguido se converter em um referente tanto nacional como internacional da cultura electrónica, ao conseguir reunir a mais de 25.000 pessoas.[42]

No final do mês de maio, celebra-se a Noite Branca que nasceu em 2008 como mostra de apoio a Burgos como Capital Cultural da Europa no 2016 e que consiste em uma série de actos repartidos por toda a cidade relacionados com a cultura. Em 2010 , participaram mais de 70.000 pessoas, nos mais de cem eventos entre os quais teve concertos, abertura gratuita de museus e espectáculos ao ar livre.[43]

Música

Desde o ano 2005 Burgos possui a Orquestra Sinfónica de Burgos que desenvolve periodicamente ciclos de concertos nesta cidade.

Traje típico

Segundo o folclorista local Justo do Rio, o traje típico burgalés compõe-se na parte inferior do corpo de médias, pololos, enaguas, manteo, mandil, faltriquera, e no custado esquerdo um lenço branco. Na parte superior compõe-se de camisa, justillo e jubón. Também pode levar como complementos pendentes, laço sobrio negro e sapatos negros com salto de carrete.

Burgaleses célebres

Categoria principal: Burgaleses

Cidades fraternizadas

Referências

  1. a b Dicionário etimológico da Lengue Castelhana
  2. a b «Instituto nacional de Estatística» (em espanhol). Cifras de população referidas ao 01/01/2007. Real Decreto 1683/2007, de 14 de dezembro
  3. «Anuario Económico de Espanha 2009 - A Caixa». Índice de actividade económica dos municípios de Espanha
  4. «Sessão extraordinária do dia 11 de maio de 2009», em Plenos Municipais. Prefeitura de Burgos. Consultado o 2 de setembro de 2009.
  5. «Escudo de Burgos» (em espanhol). Descrição e história do escudo de Burgos.
  6. Conseguiu os condados de Lantarón, Álava, e possivelmente o de Cerezo, depois de seu casamento com Sancha, que tinha ficado viúva de Álvaro Herrameliz, anterior conde de ditos condados.
  7. «O trecho problemático da A-73 atrasa outros oito meses seu projecto». Diário de Burgos Digital (2009). Consultado o fevereiro 2010.
  8. «Burgos, prêmio 'Energy Globe World Awards 08'». Burgos Cidade 21 (2009).
  9. «Energy Globe Award 2007 Winners». Energy Globe Award (2009).
  10. «Transporte Metropolitano» (2009). Consultado o Dezembro 2009.
  11. «O Porto Seco contará com outro comboio para Barcelona a partir do dia 15». Burgos, Espanha: O Correio de Burgos (2009). Consultado o 2009.
  12. E., I. (2008). «A AVE acelera sua chegada». Burgos, Espanha: Diário de Burgos. Consultado o 2008.
  13. «Adjudicados os dois trechos pendentes de AVE a Burgos». Burgos, Espanha: O Correio de Burgos (2009). Consultado o 2009.
  14. «A crise atrasa o sonho do eléctrico». o Correio de Burgos (2009). Consultado o Dezembro 2009.
  15. «Estatísticas Villafría». o Mundo (2009). Consultado o Novembro 2009.
  16. «O Consórcio do Aeroporto estuda fletar voos internacionais para as próximas pontes». Diário de Burgos (2010). Consultado o Junho 2010.
  17. «Cidade empresarial» (2008).
  18. «Futuro industrial» (2008).
  19. «Estudo de Burgos de Caixa Espanha» (2007). Dados económicos e sociais de Burgos. Consultado em 2009
  20. «Solo industrial em Burgos».
  21. «As máquinas entram no parque tecnológico depois de 5 anos de espera». diário de burgos (2010). Consultado o fevereiro de 2010.
  22. Instituto Nacional de Estatística (INE) Espanha (ed.): «População de municípios espanhóis. Série histórica. Burgos». Consultado o 2 de setembro de 2009.
  23. Fonte: Censo a 01-01-2009 do Instituto Nacional de Estatística de Espanha. [1]
  24. «Resultados eleitorais de maio de 2007». Norte de Castilla (2007). Consultado o 2008.
  25. «Informação sobre o Castillo de Burgos». Burgos, Espanha: Prefeitura de Burgos. Consultado o 2008.
  26. «Monumentos de Burgos». Burgos, Espanha: iespana. Consultado o 2010.
  27. «História das muralhas de Burgos» (2009). Consultado o Janeiro 2010.
  28. «Rascacielos de Burgos» (2010). Consultado o Janeiro 2010.
  29. Site do Aparejadores
  30. Site da Cidade de Burgos
  31. «O novo hospital inaugurar-se-á em junho do 2009». Burgos, Espanha: Norte de Castilla (2006). Consultado o 2008.
  32. Farmácias de Burgos
  33. «Universidade de Burgos» (2009).
  34. «UniCyL» (2009).
  35. «Cecyl» (2010).
  36. «Museu de Teias Medievales de Burgos». Burgos, Espanha: ABC (2009). Consultado o dezembro 2009.
  37. «Museu de Teias Medievales de Burgos». Burgos, Espanha: O Comércio Digital (2009). Consultado o dezembro 2009.
  38. Burgostecarios. «Museu Fadrique de Basilea» (em espanhol). Consultado o 19 de abril de 2010.
  39. Ministério de Defesa. «Museu Militar de Burgos» (em espanhol). Consultado o 19 de abril de 2010.
  40. Ministério de Defesa. «Instituto de História e Cultura Militar» (em espanhol). Consultado o 19 de abril de 2010.
  41. Soitu.é Actualidade. «Aberto o albergue de peregrinos de Burgos, com 3,6 milhões de € de investimento» (em espanhol). Consultado o 1 de abril de 2010.
  42. «Diário de Burgos» (2008). O Electrosonic acolhe a 25.000 pessoas, o 10% do estrangeiro.
  43. «Maior a cada ano» (2010). Consultado o Maio 2010.
  44. «San Juan dos lagos» (em espanhol). San Juan dos Lagos população mexicana do estado de Jalisco com a que Burgos está fraternizada desde 1982.

Veja-se também

Enlaces externos

Obtido de http://ks312095.kimsufi.com../../../../articles/c/ou/m/Comunicações_de_Andorra_46cf.html"