Visita Encydia-Wikilingue.com

Eslováquia

eslováquia - Wikilingue - Encydia

Slovenská republika
República Eslovaca
Bandera de Eslovaquia Escudo de Eslovaquia
Bandeira Escudo
Lema: Kedykoľvek sme dôslední bez vojny
«Sempre estamos unidos sem guerra»
Hino nacional: Nad Tatrou sa blýska
(Eslovaco: «Se relampaguea em Tatras»)
 
Situación de Eslovaquia
 
Capital Coat of Arms of Bratislava.svg Bratislava
48°09′ N 17°07′ E
Cidade mais povoada Bratislava
Idiomas oficiais Eslovaco
Forma de governo Democracia Parlamentar
Presidente
Premiê
Ivan Gašparovič
Robert Fico
Independência
 • Data
Divisão de Checoslovaquia
1 de janeiro de 1993.
Superfície
 • Total
 • % água
Fronteiras
Posto 130º
48.845 km²
Despreciable
1.524 km
População total
 • Total
 • Densidade
Posto 108º
5.389.180 (2006)[1]
111 hab/km²
PIB (nominal)
 • Total (2007)
 • PIB per capita
Posto 57º
US$ 74.988 milhões
US$ 18.584 (2008)
PIB (PPA)
 • Total (2007)
 • PIB per capita
Posto 60º
US$ 109.587 milhões
US$ 22.241 (2008)
IDH (2007) 0,880 (42º) – Alto
Moeda Euro2 (€,EUR)
Gentilicio Eslovaco, eslovaca
Fuso horário
 • em verão
CET (UTC+1)
CEST (UTC+2)
Domínio Internet .sk
Prefixo telefónico +421¹
Prefixo radiofónico OMA-OMZ
Código ISO 703 / SVK / SK
Membro de: Flag of Europe.svg União Européia, ONU, OTAN, OSCE, OCDE, COE
    ¹ Código 42 compartilhado com a República Checa até 1997.
    ² Dantes do 1 de janeiro de 2009 usava-se a coroa eslovaca como moeda nacional.

Eslováquia (em eslovaco Slovensko) ou República Eslovaca (em eslovaco Slovenská republika), é uma república centroeuropea que faz parte da União Européia (UE). Limita ao noroeste com a República Checa, ao norte com Polónia, ao este com Ucrânia, ao sul com Hungria e ao sudoeste com Áustria.

Tem uma população de 5.389.180 habitantes e sua capital é Bratislava com 425.155 habitantes. Os Montes Cárpatos ocupam toda a zona norte do país.

O final do comunismo em 1989 significou também o fim de Checoslovaquia como tal e a criação de dois estados sucessores; Eslováquia e a República Checa separaram seus caminhos o 1 de janeiro de 1993.

Conteúdo

História

Artigo principal: História da Eslováquia

O território da moderna Eslováquia foi ocupado pelos celtas ao redor do 450 a. C.; eles construíram poderosas Oppidums em Bratislava e Liptov. O mais antigo registo escrito da Eslováquia são uma série de moedas de prata com os nomes dos reis celtas. A partir do ano 6 DC, o império romano estabeleceu e manteve vários assentamentos sobre o Danubio. Na zona oeste e central da Eslováquia entre o ano 20 ao 50 DC existiu o reino bárbaro de Vannius, fundado pelo povo germánico dos Cuados. Os povos eslavos assentaram-se no território da Eslováquia no século V. O oeste da Eslováquia foi o centro do império do rei Samo durante o século VII. Depois, no século VIII, surge o Principado de Nitra, e seu primeiro governante Pribina fez consagrar em 828 a primeira igreja cristã na Eslováquia. A partir de 833, junto com seu vizinho Moravia, o principado formou o núcleo do Império da Grande Moravia. Seu momento de maior apogeo foi a chegada dos Santos Cirilo e Metodio no 863, durante o reinado do Príncipe Rastislav, e a expansão territorial baixo o reinado do rei Svätopluk.

Reino de Hungria

O Reino de Hungria foi criado no 1000 pelo rei San Esteban. Os assentamentos eslovacos estendiam-se por toda a zona norte do território actual de Hungria, enquanto os húngaros se assentaram na zona sul da Eslováquia. A composição étnica voltou-se mais diversa com a chegada dos alemães do Cárpato (no século XIII), os Valacos (no século XIV), e os judeus.

Camponês eslovaco dos montes Tatra, finais do XIX, princípios do XX.

A população foi devastada e contraiu-se por causa da invasão mongol em 1241 e a fome que a sucedeu. No entanto, a Eslováquia renacentista caracterizava-se por seus povos burgueses, numerosos castelos construídos em rocha, e o desenvolvimento da arte. Em 1467, Matías Corvino fundou a primeira universidade em Bratislava, mas a mesma teve uma vida muito curta.[2]

Ao começar a expansão do Império otomano em Hungria e produzir-se a ocupação de Buda a começos do século XVI, o centro do Reino de Hungria deslocou-se para a Eslováquia, e no 1536 Bratislava (conhecida nessa época como Pressburg, Pressporek ou Posonium) se converteu na cidade capital de Hungria Real. Numerosos húngaros mudaram-se a Eslováquia para escapar da crueldade do governo otomano, com a consequente redução da proporção de eslovacos em Hungria Real. As guerras otomanas e insurrecciones frequentes contra a monarquia dos Habsburgo também produziram grandes danos e destruição, especialmente nas zonas rurais. Quando os turcos se retiraram de Hungria no século XVIII, a influência eslovaca diminuiu dentro do reino, apesar de que Bratislava seguiu sendo a cidade capital de Hungria até 1848, quando a capital se muda a Budapeste .

Guiados pela ideia de escindirse da administração húngara sócia com a monarquia austríaca, os eslovacos apoiaram aos imperadores Habsburgo contra os húngaros toda a vez que teve um conflito entre Hungria e os reis Habsburgo em relação à autonomia de Hungria. Por esta razão, durante o período do Império austrohúngaro, entre 1867 e 1918, os eslovacos sofreram uma repressão cultural através do processo de magiarización promovido pelo governo húngaro.

Os eslovacos encontravam-se, depois dos rutenos, mais oprimidos que qualquer outra minoria em Hungria e entre as mais pobres, ocupando territórios montanhosos e pouco fértiles.[3] Constituindo uma população quase completamente rural, o escasso comércio estava em mãos dos judeus, com frequência agentes da magiarización, o que implicou o desenvolvimento de uma antisemitismo de raízes nacionalistas e económicas.[3]

Ľudovít Štúr, líder do renacimiento nacional eslovaco do século XIX.

Desde o desaparecimento do Reino de Hungria até a actualidade

Em 1920 o Tratado de Trianon outorga-lhe o território actual ocupado por Eslováquia a Checoslovaquia , que tinha sido criada em 1918, e que ademais incluía às regiões de Bohemia e sua vizinha Moravia.

No caos que seguiu ao desmembramiento do Império Austrohúngaro, Eslováquia foi atacada em 1919 pela República Soviética Húngara provisória e um terço da área da Eslováquia se converteu temporariamente na República Soviética Eslovaca. Checoslovaquia foi permanentemente ameaçada por governos revisionistas da Alemanha e Hungria, até que foi dividida mediante os Acordos de Munique de 1938. Em 1939, Eslováquia converteu-se em um estado separado baixo o comando do presidente Jozef Tiso. Apesar de que as políticas mostravam forte influência da Alemanha Nazista, o movimento de resistência anti-Nazista levou a cabo uma importante insurrección armada, conhecida como o Levantamento Nacional Eslovaco, em 1944.

A Checoslovaquia posterior à Segunda Guerra Mundial foi restabelecida, mas rapidamente caiu baixo a influência da União Soviética e seu Pacto de Varsovia a partir de 1945. Em 1969, o estado converteu-se em uma federação da República Socialista Checa e a República Socialista Eslovaca.

Em 1989 o final do comunismo em Checoslovaquia através da pacífica Revolução de Terciopelo significou também o fim de Checoslovaquia como tal e a criação de dois estados sucessores; Eslováquia e a República Checa separaram seus caminhos após o 1 de janeiro de 1993. Eslováquia converteu-se em membro da União Européia em maio de 2004.

Governo e política

Eslováquia é uma república democrática parlamentar com um sistema multipartidista. A última eleição parlamentar realizou-se o 17 de junho de 2006 e a última eleição presidencial levou-se a cabo em duas voltas o 3 de abril de 2004 e o 17 de abril de 2004.

O chefe de estado é o presidente (Ivan Gašparovič, 2004 - 2009), elegido mediante voto popular directo por um período de cinco anos e reelegido para o período 2009 - 2014. A maioria das decisões de governo concentram-se no chefe de governo, o premiê (Robert Fico, 2006 - 2010), quem pelo geral é o líder do partido político que ganha as últimas eleições e deve formar uma coalizão com maioria no parlamento para poder governar. O premiê é designado pelo presidente. O resto dos membros do gabinete são designados pelo presidente seguindo a recomendação do premiê.

O mais alto órgão legislativo eslovaco é a Assembleia nacional da República Eslovaca (Národná rada Slovenskej republiky), de carácter unicameral, que tem 150 integrantes. Os delegados são eleitos por um período de 4 anos mediante um sistema de representação proporcional. O órgão judicial a mais alta hierarquia é o Corte Constitucional (Ústavný súd), que se entende nos temas constitucionais. O Corte possui 13 membros que são designados pelo presidente a partir de uma lista de candidatos nominados pelo parlamento.

Direitos humanos

Em matéria de direitos humanos, com respeito ao pertence nos sete organismos da Carta Internacional de Direitos Humanos, que incluem ao Comité de Direitos Humanos (HRC), Eslováquia tem assinado ou ratificado:

UN emblem blue.svg Estatus dos principais instrumentos internacionais de direitos humanos.[4]
Eslováquia Tratados internacionais
CESCR[5] CCPR[6] CERD[7] CED[8] CEDAW[9] CAT[10] CRC[11] MWC[12] CRPD[13]
CESCR CESCR-OP CCPR CCPR-OP1 CCPR-OP2-DP CEDAW CEDAW-OP CAT CAT-OP CRC CRC-OP-AC CRC-OP-SC CRPD CRPD-OP
Pertence Eslovaquia ha reconocido la competencia de recibir y procesar comunicaciones individuales por parte de los órganos competentes. Sin información. Eslovaquia ha reconocido la competencia de recibir y procesar comunicaciones individuales por parte de los órganos competentes. Firmado y ratificado. Firmado y ratificado. Eslovaquia ha reconocido la competencia de recibir y procesar comunicaciones individuales por parte de los órganos competentes. Sin información. Eslovaquia ha reconocido la competencia de recibir y procesar comunicaciones individuales por parte de los órganos competentes. Firmado y ratificado. Eslovaquia ha reconocido la competencia de recibir y procesar comunicaciones individuales por parte de los órganos competentes. Sin información. Eslovaquia ha reconocido la competencia de recibir y procesar comunicaciones individuales por parte de los órganos competentes. Ni firmado ni ratificado. Firmado pero no ratificado. Ni firmado ni ratificado. Firmado pero no ratificado. Firmado pero no ratificado.
Yes check.svg Assinado e ratificado, Check.svg assinado mas não ratificado, X mark.svg nem assinado nem ratificado, Symbol comment vote.svg sem informação, Zeichen 101.svg tem acedido a assinar e ratificar o órgão em questão, mas também reconhece a concorrência de receber e processar comunicações individuais por parte dos órgãos competentes.

Organização territorial

Artigo principal: Regiões da Eslováquia
Slovakiakrajenumbers.png

Desde 1949 (excepto no período 1990-1996) Eslováquia tem estado subdividida em 8 "kraje" (singular - kraj, geralmente traduzido por "regiões", que tomam o nome de sua cidade principal. Seu número, fronteiras e funções têm mudado várias vezes ao longo da história.

Os "kraje" estão subdivididos a sua vez em "okresy" (singular - okres, geralmente traduzidos por "distritos"). Existem actualmente 79 distritos na Eslováquia.

Região Eslovaco Capital
1 Região de Bratislava Bratislavský kraj Bratislava
2 Região de Trnava Trnavský kraj Trnava
3 Região de Comboiočín Comboiočiansky kraj Comboiočín
4 Região de Nitra Nitriansky kraj Nitra
5 Região de Žilina Žilinský kraj Žilina
6 Região de Banská Bystrica Banskobystrický kraj Banská Bystrica
7 Região de Préšov Préšovský kraj Préšov
8 Região de Košice Košický kraj Košice

Geografia

Mapa da Eslováquia.
Artigo principal: Geografia da Eslováquia

Eslováquia é um estado centroeuropeo membro da União Européia (UE). Eslováquia não tem costa e faz fronteira com Polónia (norte), a República Checa e Áustria (oeste), Hungria (sul), e no este faz fronteira com um estado extracomunitario: Ucrânia.

A capital é Bratislava (em húngaro: Pozsony) com uma população de 430.000 habitantes. Outras cidades importantes são Košice , Préšov, Nitra, Žilina , Banská Bystrica, Trnava e Martin.

A paisagem eslovaca destaca-se por suas montanhas, os Cárpatos estendem-se a todo o largo da zona norte do país. Em dita zona encontram-se os montes Tatra; o Alto Tatra é muito popular para esquiar e alberga formosas paisagens com lagos e vales, bem como o ponto mais alto da Eslováquia, o Gerlachovský štít com 2,655 metros.

Entre os principais rios destacam o Danubio, o Váh e o Hron.

O clima na Eslováquia é temperado, com verões relativamente cálidos e invernos frios, nublados e húmidos.

WWF divide o território da Eslováquia entre dois ecorregiones: o bosque montano dos Cárpatos nas montanhas do norte e o bosque misto de Panonia nas terras baixas do sul.

Clima

Clima de terras baixas

Predominio das influências oceánicas

A temperatura média anual é de 9-10 °C. A temperatura média do mês mais caluroso é de 20 °C e a temperatura média do mês mais frio é superior a -3 °C. Este tipo de clima produz-se em Záhorská nížina e Podunajská nížina. É o típico clima da capital, Bratislava.

Clima de terras baixas com predominio das influências continentais

A temperatura média anual é de 8-9 °C . A temperatura média do mês mais caluroso é de 19 °C e a temperatura média do mês mais frio é inferior a -3 °C. Este tipo de clima pode-se encontrar na Košická kotlina e Východoslovenská nížina. É o clima típico da cidade de Košice .

Clima das cuencas

A temperatura média anual é dentre 5 °C e 8,5 °C. A temperatura média do mês mais caluroso é entre 15° C e 18,5° C e a temperatura média do mês mais frio está entre -3 °C e -6 °C. Este clima pode-se encontrar em quase todas as cuencas na Eslováquia. Por exemplo Podtatranská kotlina, Žilinská kotlina, Turčianska kotlina, Zvolenská kotlina. É o clima típico das cidades de Poprad e Sliač.

Clima de montanha

A temperatura média anual é inferior a 5 °C. A temperatura média do mês mais cálido é inferior a 15 °C e a temperatura média do mês mais frio é inferior a -5 °C. Este tipo de clima produz-se nas montanhas e em algumas aldeias nos vales de Orava e Spiš.

Economia

Moedas de euro da Eslováquia em circulação desde 2009.
Artigo principal: Economia da Eslováquia

Eslováquia tem sorteado com sucesso a difícil transição desde um sistema de economia de planejamento centralizada a um de economia moderna de mercado. Já pelo 2001 o governo eslovaco mostrava importantes avanços na estabilização da macroeconomía e a implementação de reformas estruturais. Levou-se a cabo um importante conjunto de privatizações, o sistema bancário está quase em sua totalidade em mãos da banca estrangeira, e os níveis de investimento estrangeira têm crescido. O crescimento económico da Eslováquia superou as expectativas nos primeiros anos da década do 2000, apesar da recessão existente em alguns de seus mercados de exportação mais relevantes.

Exportações a Importações de
País Percentagem País Percentagem
Flag of Germany.svg Alemanha 27,0 % Flag of Germany.svg Alemanha 24,7 %
Bandera de la República Checa República Checa 16,6 % Bandera de la República Checa República Checa 15,1 %
Bandera de Italia Itália 8,8 % Bandera de Rusia Rússia 14,8 %
Bandera de Austria Áustria 8,1 % Bandera de Italia Itália 6,4 %
Outros 39,5 % Outros 39,0 %

Eslováquia é um estado que pertence à União Européia desde o 1 de maio de 2004. Este facto dá estabilidade, e se somámos-lhe que tem salários bem mais baixos que os da Alemanha, França ou Espanha, provoca que muitas fábricas instaladas na Europa Ocidental se transladem a este país, tanto que ao dia de hoje já é uma grande potência automobilística. Por exemplo, empresas da província de Barcelona (Espanha) transladaram-se a Bratislava .[14]

Esta situação explica o grande ritmo de crescimento económico que Eslováquia tem tido nos últimos anos (6.1% em 2005).

A partir de 1 de janeiro de 2009, Eslováquia uniu-se à Eurozona e adoptou o euro como moeda oficial [1], o que já tinham feito anteriormente 15 países.

Demografía

Artigo principal: Demografía da Eslováquia
Evolução da população entre 1993 e 2010.

Ao ano 2007, Eslováquia tem uma população de 5.447.000 habitantes. A esperança de vida é de 74.9 anos. O 99.6% da população está alfabetizada. A média de filhos por mulher é de tão só 1.33.

A maioria dos habitantes da Eslováquia são etnicamente eslovacos (85,5%). Os húngaros são a minoria étnica maior (10%) e estão concentrados na região sul do país. Outros grupos étnicos incluem aos gitanos, checos, ucranianos, alemães e polacos. A percentagem de população romaní é de 1,7% segundo o último censo (que está baseada em estimativas próprias de organizações gitanas); mas ao redor de 5,6% baseado em dados contribuídos por autoridades municipais (que computan só a população permanente). No entanto, note-se que no caso de 5,6%, as percentagens de húngaros e eslovacos são mais baixos por 4 pontos percentuais.

A constituição eslovaca garante a liberdade de culto. A maioria dos cidadãos eslovacos (64,5%) pratica o catolicismo; cerca do 8,5% são protestantes, e o 4,5% são católicos gregos, i.e., católicos orientais e um 0,9% são ortodoxos orientais.[15] De uma população estimada de 120.000 judeus dantes da Segunda Guerra Mundial, ao redor de 2.300 judeus permanecem no país. O idioma oficial do estado é o eslovaco, que pertence à família das línguas eslavas, mas o húngaro (11%) é amplamente falado no sul e desfruta de um status co-oficial em algumas regiões.

Eslováquia esta composta etnicamente por um 98.3% europeus (Eslovacos 85.8%, Húngaros 11%, Outros 1,5%) e um 1.7% de Gitanos .[16]

Folclore eslovaco.

Cultura

Artigo principal: Cultura da Eslováquia

O desporto nacional é o hockey sobre gelo. Uma curiosidade turística rara e interessante na Eslováquia oriental é a grande quantidade de igrejas nas zonas rurais construídas de madeira, que possuem algumas similitudes com as stavkirke da Noruega.

Veja-se também: Idioma eslovaco

Música

A música popular começou a substituir a música folklorica a partir da década de 1950, quando Eslováquia era parte de Checoslovaquia ; jazz americano, R&B e rock and roll eram populares, além de vals , polcas, e czardas, entre outras formas folkloricas. No final dos anos 50, as rádios eram comuns artigos do lar, ainda que só as estações de estado são legais. A música eslovaca popular que começou como uma mistura de bossa nova, cool jazz, e rock.

Após a Revolução de Terciopelo e a declaração do estado eslovaco, em grande parte a música nacional, diversificada como a liberdade de empresa, permite uma grande expansão no número de bandas e géneros representados no mercado eslovaco.

Gastronomia

Artigo principal: Gastronomia da Eslováquia

A gastronomia eslovaca é uma das mais antigas da Europa. Tem profundas raízes históricas. Está baseada principalmente em carnes, farinha, batata, col e produtos lácteos.

As aves, a ternera e, muito acima de ambas, o porco, são as carnes mais consumidas. Dentre todas as aves, o frango é a mais comum, ainda que o pato, o ganso e o peru são também populares. Uma salchicha telefonema jaternice, feita com sangue de porco e quase qualquer outra parte do animal, é também popular. As carnes de caça, particularmente o jabalí, o coelho e o venado estão também disponíveis segundo a época do ano. O consumo de carne de cavalo está em general mau visto.

O vinho é comum por todo o país. Os vinhos eslovacos produzem-se principalmente nas áreas do sul ao longo do Danubio e suas afluentes; a metade norte do país é demasiado fria e montanhosa para o cultivo de vinhas. Tradicionalmente, o vinho branco era mais popular que o tinto ou rosado (salvo em algumas regiões) e o doce mais que o seco, mas ambas tendências parecem estar a mudar. A cerveja (em eslovaco Pivo) é também muito popular.

Características

A cozinha eslovaca prove de uma região com condições climatológicas severas onde pelo menos três meses do ano reina um intenso frio; esta é uma das razões da preponderancia da carne ahumada, batatas, col agria, produtos lácteos e farinhas, produtos que podem facilmente perdurar ou se produzir todo o ano sem importar o frio ou as nevadas. Da mesma maneira, os antigos eslovacos cosechaban a col durante o outono, a rebanaban, misturavam-na com especiarias e faziam col agria, uma poderosa fonte de vitamina C. A batata cosechada em outubro servia de alimento básico durante o inverno ao igual que o leite de vaca fresca ou agria. De pescado consumia-se sobretudo a carpa.

Turismo

A corrente montanhosa de Altos Tatras possui as montanhas mais altas da Eslováquia

Eslováquia possui várias características que a fazem um país atraente desde o ponto de vista do turismo. Possui numerosos centros de desportos de inverno, cidades históricas, pintorescos castelos, grutas, únicas igrejas de madeira, parques nacionais e outras riquezas e paisagens naturais.

Aproximadamente o 40% da Eslováquia está coberto por bosques. Os bosques da Eslováquia possuem uma rica fauna, que inclui ursos pardos, lobos, linces, zorros, jabalíes selvagens, coelhos, ardillas, turones, castores e ratas almizcleras. Nas zonas montanhosas podem-se observar gamuzas e marmotas alpinas. Ao ser uma das poucas zonas cujo médio ambiente não foi danificado pelo antigo regime comunista, Eslováquia possui um altísimo percentagem de parques nacionais e outras áreas protegidas.

Uma das principais atrações da Eslováquia são os Montes Tatras (que se dividem nos Altos Tatras e Baixos Tatras), que são a zona mais elevada dos Cárpatos. Ali podem-se observar interessantes espécies autóctonas de fauna e flora, além de oferecer numerosas opções para a prática do esqui, caminatas pela montanha e escalada em rocha.

É muito popular a prática de navegação em kayaks e canoas nos rios e ribeiros da Eslováquia. Também existe uma longa tradição de uso de balsas , especialmente no rio Dunajec.

Veja-se também

Referências

  1. «Já somos 27» (em espanhol). Mundinteractivos (2007). Consultado o 13/04/2008.
  2. «Academia Istropolitana» (em inglês). City of Bratislava 14.02.2005 (2005). Consultado o 13/04/2008.
  3. a b Kann, Robert: "Hungarian Jewry During Áustria-Hungary's Constitutional Period (1867-1918)", Jewish Social Studies 1 não. 4 (1945)
  4. Escritório do Alto Comisionado para os Direitos Humanos (lista actualizada). «Lista de todos os Estados Membros das Nações Unidas que são parte ou signatarios nos diversos instrumentos de direitos humanos das Nações Unidas» (em inglês) (site). Consultado o 21 de outubro de 2009.
  5. Pacto Internacional de Direitos Económicos, Sociais e Culturais, vigiado pelo Comité de Direitos Económicos, Sociais e Culturais.
    # CESCR-OP: Protocolo Facultativo do Pacto Internacional de Direitos Económicos, Sociais e Culturais (versão pdf).
  6. Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, vigiado pelo Comité de Direitos Humanos.
    # CCPR-OP1: Primeiro Protocolo Facultativo do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, vigiado pelo Comité de Direitos Humanos.
    # CCPR-OP2: Segundo Protocolo Facultativo, destinado a abolir a pena de morte.
  7. Convenção Internacional sobre a Eliminação de todas as Formas de Discriminação Racial, vigiada pelo Comité para a Eliminação de Discriminação Racial.
  8. Convenção Internacional para a protecção de todas as pessoas contra os desaparecimentos forçados.
  9. Convenção Internacional sobre a Eliminação de todas as Formas de Discriminação contra a Mulher, vigiada pelo Comité para a Eliminação de Discriminação contra a Mulher.
    # CEDAW-OP: Protocolo Facultativo da Convenção sobre a Eliminação de todas as Formas de Discriminação contra a Mulher.
  10. Convenção contra a tortura e outros tratos ou penas crueis, desumanos ou degradantes, vigiada pelo Comité contra a tortura.
    # CAT-OP: Protocolo Facultativo da Convenção contra a tortura e outros tratos ou penas crueis, desumanos ou degradantes. (versão pdf)
  11. Convenção sobre os Direitos do Menino, vigiada pelo Comité dos Direitos do Menino.
    # CRC-OP-AC: Protocolo Facultativo da Convenção sobre os Direitos do Menino relativo à participação nos conflitos armados.
    # CRC-OP-SC: Protocolo Facultativo da Convenção sobre os Direitos do Menino relativo à venda de meninos, a prostituição infantil e a utilização de meninos na pornografía.
  12. Convenção Internacional sobre a protecção dos direitos de todos os trabalhadores migratorios e de seus familiares. A convenção entrará em vigor quando seja ratificada por vinte estados.
  13. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Discapacidade, vigiado pelo Comité sobre os Direitos das Pessoas com Discapacidade.
    # CRPD-OP: Protocolo Facultativo da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Discapacidade.
  14. Votruba, Martin. «Regional Wealth». Slovak Studies Program. University of Pittsburgh. Consultado o 12-05-2010.}
  15. «Eslováquia» (em espanhol). Deutsche Welle 01.05.2004 (2004). Consultado o 13/04/2008.
  16. «Census 2001» (em inglês). statistics.sk (2001). Consultado o 13/04/2008.

Enlaces externos

ace:Slowakiakrc:Словакияmhr:Словакийpnb:سلویکیا

Obtido de http://ks312095.kimsufi.com../../../../articles/a/n/d/Andorra.html"