Visita Encydia-Wikilingue.com

Idioma guaraní

idioma guaraní - Wikilingue - Encydia

Guaraní
Avañe'ẽ
Falado em Bandera de Paraguay Paraguai
Bandera de Argentina Argentina
Bandera de Bolivia Bolívia
Bandera de Brasil Brasil
Família Tupí

 Tupí-guaraní
  Subgrupo I
  Guaraní

Estatus oficial
Oficial em Bandera de Paraguay Paraguai
Bandera de Bolivia Bolívia
Bandera Corrientes.svg Correntes, Argentina[1]
Regulado por Não está regulado
Códigos
ISO 639-1 gn
ISO 639-2 grn
ISO 639-3 A cada variedade tem um código próprio
grnGuaraní
xet – Xetá
gugGuaraní paraguaio
ava – Guaraní Correntino
gunMbyá
guq – Aché Guayakí
kgkKaiwá
nhdChiripá
ptaPaí tavyterá
taiTapieté

O guaraní ou avañe'ẽ é uma língua da família tupí-guaraní falada por uns cinco milhões de pessoas, para uns quatro milhões das quais é sua língua materna. Paraguai, onde é a língua cooficial de todo o estado, compartilha este idioma com seus países vizinhos, que o falam em parte de seu território. Fala-se no nordeste da Argentina (Correntes, Missões, Formosa e parte da província do Chaco); na província de Correntes é língua oficial (junto com o castelhano).[2] Ademais fala-se o sul do Brasil e o Chaco boliviano. É a língua nativa dos guaraníes, um povo autóctono da zona, mas goza de um uso extenso também fora da etnia especialmente em Paraguai. Na América precolonial empregou-se regularmente por povos que viviam ao este da Cordillera dos Andes, desde o mar Caraíbas até o Rio da Prata.

Conteúdo

Aspectos históricos, sociais e culturais

Variantes

Podem-se diferenciar três variedades de guaraní quase ininteligibles entre si: o misionero ou jesuítico; o guaraní falado pelos guaraníes e o guaraní paraguaio ou moderno.

O guaraní misionero falou-se na área e tempo de influência das missões jesuíticas, entre 1632 e 1767. Esta variedade tinha desaparecido totalmente para 1870, mas deixou importantes documentos escritos.

O guaraní tribal abarca os dialectos falados por cinco ou seis etnias assentadas dentro do território paraguaio e limitadas geograficamente: "Guaraní Ocidental", "Paí Tavyterá", "Ava Guaraní", "Idioma Mby`a Guarani" e "Aché".

O guaraní paraguaio é falado por quase a totalidade da população do país (90%); este depende geralmente da localização urbana ou rural dos hablantes, sendo variável o grau de pureza e de riqueza do léxico.

Nos centros urbanos e principalmente na capital fala-se o jopará, uma língua criolla que adopta vocablos espanhóis à estrutura gramatical e prosódica do guaraní. (adoptada em séculos de guerra) Uma variante é o chamado guaraní jehe'a ,uma língua caracterizada pela mistura transformada de vocablos do espanhol ao guaraní.

O idioma guaraní no Paraguai

Paraguai é único em muitos aspectos e diferente de outros países da América Latina. Paraguai tem uma população mestiza que é bastante homogénea (hispanos na aparência e a cultura). A gente não aparenta, não se viste nem se comporta como indígena. Os termos mestizo e ladino não se utilizam no espanhol de Paraguai, e não existem conceitos de mestizaje cultural ou racial, a diferença de outros países da América Latina. No entanto, apesar da hispanización da maioria dos residentes, o noventa por cento da população fala a língua indígena guaraní. Por esta razão, Paraguai é um caso único no hemisfério, e o país é com frequência citado como uma das poucas nações bilingüe no mundo.[3]

O idioma guaraní hoje

O guaraní é falado por algo mais de oito milhões de pessoas de regiões de Paraguai, Argentina, Bolívia e Brasil. O guaraní é conhecido por mais de 90% dos paraguaios, 27% deles são monolingues em guaraní, e é idioma oficial também na província argentina de Correntes. Em algumas regiões paraguaias o guaraní é mais amplamente usado que o espanhol, como é o caso das colónias mennonitas, onde seus habitantes se comunicam em inglês e guaraní ou em alemão e guaraní em vez de espanhol.

O guaraní foi a primeira língua indígena americana em atingir o estatus de idioma oficial. Ademais o guaraní tem sido reconhecido como idioma de trabalho do Mercosul.[cita requerida] Com respeito a esta situação, um jornalista do Mercurio Digital, que tem seguido muito de perto a notícia da incorporação do Guaraní como idioma oficial do Mercosul expressou o seguinte:

É preferível aprender um idioma nosso, que seja autenticamente latinoamericano, que trocar expressões e ideias com ropajes alheios. A União Européia contém dezenas de idiomas oficiais até de regiões cuja população não ultrapassa o milhão de habitantes. Por que aqui não se lhe dá a atenção devida ao guaraní, já que outros idiomas nativos têm ido caducando? América Latina tem a oportunidade de dar exemplos ao mundo. Esta atenção concedida ao guaraní não significa o abandono gradual do português ou o espanhol nos países do Mercosul, senão uma maneira de dar voz a uma de nossas raízes, a indígena, e valorizar o próprio sem nenhum sentimento de atraso ou culpa. Os países chamados “desenvolvidos” terão que aprender o guaraní e respeitar o espaço cultural latinoamericano.
Bruno Peron Loureiro, jornalista

Na actualidade, existe uma grande quantidade de páginas e lugares site em guaraní. O projecto Wikipedia em Guaraní também tem impulsionado o progresso digital deste idioma. Os jornais ABC Cor e Última Hora publicam alguns artigos neste idioma.

Fonología

O guaraní distingue 33 fonemas, dos quais 12 são vocais e 21 consonantes.

Vogais

Das 12 vogais (pu'ae) guaraníes, 5 são orales (pu'ae jurugua), 5 nasales (pu'ae tĩgua), 1 gutural (pu'ae ahy'ogua) (e = /ɨ/) e uma guturonasal (pu'ae ahy'otĩgua) ( = /ɨ̃/).

orales nasales
anterior central posterior anterior central posterior
fechadas (débis) i ɨ ou ĩ ɨ̃ ũ
abertas (fortes) e a ou ã õ

A ortografia de todos esses fonemas é idêntica a seu signo AFI excepto pelas grafías <e, ỹ> que se usam para denotar aos fonemas /ɨ, ɨ̃/.


Consonantes

Das 21 consonantes (pundie) guaraníes, 8 são plosivas, 5 fricativas, uma africada, uma aproximante, 2 vibrantes e uma sibilante. O seguinte quadro representa o quadro de fonemas segundo o modo de articulação e o ponto de articulação dos fonemas e a grafía usual para a cada um deles:

labial alveolar alveo-palatal velar glotal
fricativa /β/ <v> /s/ <s> /ɣ,ɣ̃/ <g, g̃>
africada /ʧ/ <ch>, /ʤ/ <j>
oclusiva surda /p/ <p> /t/ <t> /k/ <k> /ʔ/ <'>
oclusiva sonora // <mb> // <nd> // <ng>
nasal plana m <m> n <n>
sonorante ɾ <r>, l <l> j <e>

Nos empréstimos léxicos do espanhol também intervém a vibrante múltiplo /r/. As oclusivas sonoras pueen articular-se como propriamente oclusivas em contextos não-nasales ou como nasales em contextos nasales. O fonema /t/ pode soar como [t] ou como [ɾ]

Observações

Palavras nasales

O guaraní distingue entre fonemas nasales e orales. A nasalidad de qualquer fonema faz-se extensiva a toda a palavra, por razões de eufonía, e provoca fenómenos de sandhi nos sufixos que se acrescentem a esta. Portanto, são só orales as palavras em que nenhum dos fonemas que a conformam tem carácter nasal.

(Nasales) akã ("cabeça") — por ã ("bonito") — kuñataĩ ("señorita") — tenhombireko ("esposa")
(Orales) rajy ("filha") — túva ("pai") — sy ("mãe") — arapoty (primavera)

Pusó

O pusó ou oclusiva glotal aparece só em posição intervocálica e interrompe momentaneamente a emissão; ainda que pudesse parecer simplesmente uma ausência de som, é um fonema em direito próprio, pois entra em oposição fonológica com o som contínuo. Seu nome vem do próprio guaraní pu ("som") + so ("soltar", "separar"). No silabeo acompanha à vogal que lhe segue.

Acentuación

Em guaraní nenhuma palavra termina em consonante. Quase todas levam acento (muanduhe) na última vogal. O acento gráfico utiliza-se só quando a vogal acentuada não é o final.

Por exemplo, a grafía tampe ("caminho") lê-se [ta'pe] e tata ("fogo") lê-se [ta'ta]; por sua vez áva ("cabelo"), que se lê ['ava] ou tái ("picante") ['tⁿaj], levam a marca gráfica de sua acentuación.

Grafía

Artigo principal: Alfabeto guaraní

Para escrever o guaraní comummente usa-se o alfabeto latino provisto de diacríticos para marcar as vogais nasales, mais um signo adicional para a oclusiva glotal ou "saltillo" e outros fonemas, ademais alguns fonemas prenasalizados representam-se mediante dígrafos <mb, nd, ng, ch, ku- >. A ortografia moderna com essas convenções é altamente fonémica, isto é, representa fielmente a fonología da língua.

Após a conquista e a alfabetización jesuítica na região das missões guaraníticas, nas comunidades utilizou-se o alfabeto latino para a transcrição. O jesuita Antonio Ruiz de Montoya recolheu e documentou o estado da língua em seus famosos trabalhos Tesouro da língua guaraní (um dicionário guaraní-espanhol), Arte e vocabulario da língua guaraní (um compendio gramatical e dicionário espanhol-guaraní) e Catecismo da língua guaraní (uma gramática do guaraní).

A grafía da língua não se estandarizó, no entanto, até época recente. A detalhada supra na secção de fonología corresponde à fixada oficialmente em 1950 pelo Congresso da Língua Guaraní de Montevideo, que é a utilizada actualmente para o ensino da língua no Paraguai; esta, que substituiu as regras do Congresso de Grafía convocado em 1867 pelo marechal Francisco Solano López, tentou marcar as diferenças fonológicas entre o castelhano e o guaraní adoptando uma anotação muito similar à do alfabeto fonético internacional. No entanto, obras importantes como o Grande dicionário castelhano-guaraní e guaraní-castelhano de Antonio Ortiz Mayans não têm respeitado a legislação pese a ser posteriores a sua promulgación.

Os frequentes topónimos de origem guaraní na Argentina e Uruguai utilizam a grafía do castelhano, bem como no Brasil utiliza-se a do português, perdendo portanto a distinção entre nasales e orales.

Gramática

O guaraní é uma língua fortemente aglutinante, de tipo polisintético; isto é, a cada palavra está composta de numerosos morfemas encadeados que contribuem unidades de significado. A diferença dos idiomas de tipo fusional, como o espanhol, os rasgos semánticos e sintácticos —como o tempo verbal, a pessoa, o género ou o modo— não se expressam por alterações na raiz verbal, senão pelo acrescentado de unidades específicas.

No entanto, e excepcionalmente entre as línguas aglutinantes, o guaraní é proclive ao sandhi entre morfemas; uma forma específica, conhecida como eclipse, rege a mutación do fonema [t] a começos de palavra. A realização fonética nasal ou não-nasal de um fonema também está sujeita a regras de sandhi fonético.

As marcas de tempo e modo representam-se não por afijos autênticos senão por clíticos podem dislocarse da posição adjacente à raiz verbal por razões de elegancia prosódica ou clareza conceptual; no primeiro caso, denominado metátesis, o afijo antepõe-se para antecipar o modo ou tempo da frase seguinte, enquanto no segundo, denominado hipértesis, um afijo de tempo ou modo desloca-se para evitar uma repetição ou precisar exactamente a que parte do fonema composto se aplica.

Correlativamente, a sintaxe do guaraní é simples. O idioma carece de distinção entre formas de plural e singular e de caso gramatical, e não emprega o artigo determinado.

Concordancia

O verbo guaraní concorda em número e pessoa com o sujeito. Ademais as formas verbais de terceira pessoa em singular e plural são idênticas, mantendo-se a diferença só na primeira e segunda pessoa. O nome em guaraní não possui género gramatical.

Adjectivo

Os adjectivos normalmente colocam-se junto ao sustantivo, mas sua posição varia segundo o tipo do mesmo. Os demostrativos, posesivos, numerales e indefinidos antepõem-se ao sustantivo, com excepção dos ordinales, enquanto os qualificativos pospõem-se imediatamente ao sustantivo ao que regem. Os adjectivos pospostos são invariáveis em género e número.

O guaraní emprega uma construção de genitivo carente de preposición, pospondo imediatamente o sujeito do genitivo ao objecto deste; assim Peru rembireko significa 'a esposa de Pedro'.

Ordem sintáctico

Em uma oração com verbo transitivo que tem sujeito explícito (S), objecto (Ou) e verbo (V), a ordem mais frequente é SVO e em certos casos também OVS.

A posição respectiva de sustantivos, verbos, adverbios e pronombres não é rígida sendo possíveis diversas ordens; dependendo de eleições pragmáticas, de énfasis e estéticas. O guaraní usa postposiciones em lugar de preposiciones .

Veja-se também

Wikipedia
Esta língua tem sua própria Wikipedia. Podes visitá-la e contribuir em Wikipedia em idioma guaraní.

Enlaces externos

  1. Lei Provincial Nº 5.598 que estabelece o guaraní como "idioma oficial alternativo" de Correntes
  2. H.Câmara de Deputados da Nação. PROJECTO DE DECLARAÇÃO Em 1998, Alain Fabré estimava em 1.000.000 de hablantes de guaraní para a Argentina, e nesse mesmo estudo ao 50 % da população rural de Correntes. Com respeito a esta variedade, tanto María Cecilia Stroppa como Silvio Liuzzi, encontraram rasgos provenientes do período jesuítico, únicos na região. Ademais também existem trabalhos sobre a influência do guaraní no espanhol, na província do Chaco, como o trabalho de Inés Abadia de Quant, de 1996.
  3. http://www.jstor.org/pss/3536981

Modelo:ORDENAR:Guarani

Obtido de http://ks312095.kimsufi.com../../../../articles/a/t/e/Ate%C3%ADsmo.html"