Visita Encydia-Wikilingue.com

Jano

jano - Wikilingue - Encydia

Jano (em latín Janus) é, na mitología romana, um deus que tinha duas caras olhando para ambos lados de seu perfil, pai de Fontus . Jano era o deus das portas, os começos e os finais. Por isso lhe foi consagrado no primeiro mês do ano (que em espanhol passou do latín Ianuarius a Janeiro e Janero e daí derivou a Janeiro ). Como deus dos começos, lho invocava publicamente no primeiro dia de janeiro (Ianuarius), no mês que derivou de seu nome porque inicia no novo ano. Invocava-lho também ao começar uma guerra, e enquanto esta durasse, as portas de seu templo permaneciam sempre abertas; quando Roma estava em paz, as portas se fechavam. Jano não tem equivalente na mitología grega.

Ao igual que Prometeo, Jano é uma sorte de herói cultural, já que se lhe atribui entre outras coisas a invenção do dinheiro, as leis e a agricultura, segundo os romanos este deus assegurava bons finais.

Dentro dos muitos apelativos que recebe o deus, vale a pena destacar dois: Jano Patulsio (patulsius) assim era invocada a cara do deus que se localizada adiante da porta por quem desejava a atravessar (para entrar ou sair). Como complemento, a cara que se lhe opõe a esta do outro lado da porta, é invocada como Jano Clusivio (clusivius). Ambos nomes declaram a dupla funcionalidade do deus.[cita requerida]

Jano é citado na novela de Albert Camus, A caida, onde simboliza a dualidad da personagem entre o passado e o futuro.

Veja-se também

Enlaces externos

Obtido de http://ks312095.kimsufi.com../../../../articles/a/n/d/Andorra.html"