Visita Encydia-Wikilingue.com

Narrador

narrador - Wikilingue - Encydia

O narrador é, dentro de qualquer história, (faz obra literária, filme, obra de teatro, evento narrado, etc.), a entidade que relata a história à audiência. O narrador é uma das três entidades responsáveis pelo relato de histórias de qualquer tipo. As outras duas são o autor e a audiência, esta última referida como "o leitor" quando se fala de um texto escrito. O narrador é uma entidade dentro da história, diferente do autor (pessoa física) que a cria.

Conteúdo

Classificação

Segundo sua posição com respeito ao narrado

Algumas das propostas por Mailton Seints Narrador homodiegético: Onde homo significa mesmo e diégesis história. Dentro desta categoria referimos-nos ao narrador como alguém que a viveu desde dentro e é parte do mundo relatado.

Narrador autodiegético

Quando não só fala dentro do relato, senão que é personagem principal do mesmo.

Narrador heterodiegético 

"Hetero" significa outro, "diégesis" história. Trata-se daqueles narradores que contam a história desde fora do mundo do relato, geralmente em terceira pessoa. O caso mais comum é o do chamado "narrador omnisciente", que se desenvolve mais abaixo.

Estes termos podem confundir-se com os utilizados por Genette , sua classificação dos níveis dentro de uma narração.

Divide-se em dois tipos:

-Narrador Omnisciente: É aquele que o sabe tudo; como o que pensam as personagens, o que sentem, e inclusive seu passado. Está em terceira pessoa,voz narrativa que favorece sempre o objetivismo. Também é próprio de um narrador omnisciente a distribuição da narração a seu desejo, em ocasiões faz uma pausa para se dirigir de forma directa ao leitor.

-Narrador de Conhecimento Relativo ou Narrador Parcial: É aquele que relata só o que vê ao ou ela e que não sabe que é o que pensam as personagens.

Segundo o ponto de vista

Além desta classificação existe a análise da focalización do texto narrativo, a que nos diz quem é o que vê ou percebe o que se narra; isto é o modo concreto que assume o narrador para que a audiência perceba de uma determinada forma o que se narra. A focalización também é chamada perspectiva ou ponto de vista da narração. O narrador de qualquer obra tem certas características e limitações que definem como o autor pode narrar a história. Como tal, o narrador a história dependendo do lugar que ocupe no mundo que se narra, isto é, segundo seu ponto de vista. Segundo este critério, os diferentes tipos de narrador podem classificar-se em três grandes grupos, segundo a narração dê-se em primeira, segunda ou terceira pessoa (as mais comuns são a primeira e a terça; a segunda pessoa rara vez pode encontrar em uma narração).

Primeira pessoa ou intradiegético

Veja-se também: Primeira pessoa

No caso do narrador em primeira pessoa, (ou também chamado narrador interno), o narrador é uma personagem dentro da história (homodiegético): actua, julga e tem opiniões sobre os factos e as personagens que aparecem. Neste caso o narrador só tem e contribui informação baseado em sua própria visão dos eventos.

Este narrador é o que mais se diferencia do próprio autor: é uma personagem na obra, que tem necessariamente que cumprir com todas as normas de ser uma personagem, inclusive quando esteja a cumprir tarefas de narrador. Para que tenha conhecimento de algo, portanto, é necessário que o experimente com seus próprios sentidos, ou que alguma outra personagem lho conte. Pode contar seus próprios pensamentos e opiniões, mas não os das demais personagens, a não ser que estes lho contem.

O narrador em primeira pessoa pode ser o próprio protagonista da história (como Gulliver nas viagens de Gulliver), alguém muito próximo a ele e que conhece seus pensamentos e acções (como o Dr. Watson em Sherlock Holmes) ou alguma personagem marginal que tenha pouco que ver com os factos que se narram.

Segunda pessoa

É um tipo de narração que se dá com escassa frequência já que exige uma verdadeira restrição estilística. É aquele que se dirige a um Tu, Vocês ou Vocês.A personagem desdobla sua personalidade e fala consigo mesmo como se o fizesse com outro. Algumas obras que dão exemplo deste tipo de narrador são "A modificação"

Terceira pessoa ou extradiegético

O narrador em terceira pessoa ou narrador externo encontra-se (na maioria dos casos) fosse da história, pelo que é um narrador heterodiegético. Neste caso, as características do narrador heterodiegético em terceira pessoa são as seguintes:

No entanto, podem distinguir-se três tipos de narrador em terceira pessoa, segundo o conhecimento que têm do mundo criado pelo autor.

Narrador omnisciente

É um narrador que conhece todo com respeito ao mundo da história. Pode influir no leitor, mas não sempre. Este narrador trata de ser objectivo. As características principais do narrador omnisciente são que:

Narrador testemunha (N=P)

O narrador testemunha este incluído na narração mas neste caso não é parte dela, só conta o que observa, sem participar directamente nos acontecimentos. Narra em primeira pessoa e em terça as acções de outras personagens, ademais sempre se inclui dentro da narração mas só como um observador. Esta personagem só narra o que presença e observa.

Narrador protagonista (N-P)

O narrador protagonista conta sua história com suas palavras centrando-se sempre nele. Narra em primeira pessoa; é o poseedor da situação. Organiza factos e expressa critérios como ao lhe convém. É sempre alguém que se expressa desde seus sentimentos.

Narrador equisciente (N=P)

Conhece o mesmo que o protagonista a respeito da história. O argumento centra-se em um protagonista, e cobre unicamente aquilo no que a personagem está envolvida. Mas o protagonista não é o narrador; este último não tem forma física dentro nem fora da história. É ciente dos pensamentos, sentimentos e lembranças do protagonista, mas não das outras personagens.

Este tipo de narrador é similar ao narrador em primeira pessoa, mas apresenta algumas informações de maneiras que resultariam impossíveis em uma narração em primeira pessoa: este narrador pode, por exemplo, apresentar detalhes conhecidos, mas não reconhecidos, pelo protagonista (que lhe tenham passado desapercibidos, por exemplo). Pode fazer observações que o protagonista nunca faria a respeito de si mesmo, como a cor de seus olhos ou seus defeitos pessoais. Estas observações feitas em primeira pessoa (a respeito de um mesmo) seriam altamente dudosas, mas ao vir dadas em terceira pessoa ganham em credibilidade.

Narrador deficiente

O narrador deficiente conhece menos que o protagonista a respeito da história. Regista unicamente o que pode ser visto e ouvido, sem penetrar na mente de nenhum das personagens. Por esta razão este tipo de narrador pode receber também o nome de narrador objectivo, porque não inclui nenhuma subjetividad em sua narração (nem sua nem de nenhuma personagem).

Este narrador, portanto, é uma mera testemunha dos factos que acontecem na narração, e é o mais utilizado na narração jornalística.

Enfoque narrativo múltiplo

O enfoque narrativo múltiplo ou a perspectiva múltipla dá-se quando duas ou mais personagens se referem aos mesmos factos, mas desde diferentes pontos de vista, os interpretando de diferente maneira, combinando vários dos tipos de relação que tem o narrador directamente com o relato e o recurso literário e expresivo utilizado para contar a história. O narrador heterodiegético ou extradiegético conta a história externamente, sem ter nada que ver com os factos relatados. O narrador intradiegético, que cumpre unicamente com a função de narrar, o podemos identificar através de marcas dentro da história. Encontramos também ao narrador homodiegético,contam a história desde sua participação nela, dentro deste tipo de narrador podemos encontrar uma subclasificación como narrador protagonista (autodiegético), quem é o que conta sua experiência directamente; e o narrador testemunha (metadiegético) que pertence ao mundo do relato, mas conta a história como alguém que a viveu desde fora.

Funções do discurso do narrador

Obtido de http://ks312095.kimsufi.com../../../../articles/a/r/t/Artes_Visuais_Cl%C3%A1sicas_b9bf.html"