Visita Encydia-Wikilingue.com

Telefone

telefone - Wikilingue - Encydia

O telefone é um dispositivo de telecomunicação desenhado para transmitir sinais acústicas por médio de sinais eléctricas a distância. Muito parecido ao teletrófono.

Durante muito tempo Alexander Graham Bell foi considerado o inventor do telefone, junto com Elisha Gray. No entanto Bell não foi o inventor deste aparelho, senão somente o primeiro no patentear. Isto ocorreu em 1876. O 11 de junho de 2002 o Congresso dos Estados Unidos aprovou a resolução 269, pela que se reconhecia que o inventor do telefone tinha sido Antonio Meucci, que o chamou teletrófono, e não Alexander Graham Bell. Em 1871 Meucci só pôde, por dificuldades económicas, apresentar uma breve descrição de sua invento, mas não formalizar a patente ante o Escritório de Patentes dos Estados Unidos

Antigo telefone público de fichas.

Conteúdo

Autoria de sua invenção

Já no ano 1854, o inventor francês Charles Bourseul propôs em uma revista ilustrada da época a possibilidade de utilizar vibrações causadas pela voz sobre um disco flexível ou diafragma, com o fim de activar e desactivar um circuito eléctrico e produzir umas vibrações similares em um diafragma situado em um lugar remoto, que reproduziria as vibrações originais.

Em alguns anos mais tarde, o físico e professor alemão Johan Philipp Reis inventou um instrumento que transmitia notas musicais a distância, utilizando a electricidade, mas este não era capaz de reproduzir a voz humana.

Ao redor do ano 1857 Antonio Meucci construiu um telefone para ligar seu escritório com seu dormitório, localizado no segundo andar, devido ao reumatismo de sua esposa. No entanto carecia do dinheiro suficiente para patentear seu invento, pelo que o apresentou a uma empresa que não lhe prestou atenção, mas que, também não lhe devolveu os materiais. Ao que parece, e isto não está provado, estes materiais caíram em mãos de Alexander Graham Bell, que se serviu deles para desenvolver seu telefone e o apresentou como próprio.

Em 1876 , depois de ter descoberto que para transmitir voz humana só se podia utilizar uma corrente contínua, o inventor estadounidense de origem escocês Alexander Graham Bell construiu e patenteou umas horas dantes que seu compatriota Elisha Gray o primeiro telefone capaz de transmitir e receber voz humana com toda sua qualidade e timbre. Também não deve-se deixar de lado a Thomas Alva Edison, que introduziu notáveis melhoras no sistema, entre as que se encontra o microfone de gránulos de carvão.

O 11 de junho de 2002 o Congresso dos Estados Unidos aprovou a resolução 269, pela que reconheceu que o inventor do telefone tinha sido Antonio Meucci e não Alexander Graham Bell. Na resolução, aprovada por unanimidade, os representantes estadounidenses estimam que "a vida e obra de Antonio Meucci deve ser reconhecida legalmente, e que seu trabalho na invenção do telefone deve ser admitida". Segundo o texto desta resolução, Antonio Meucci instalou um dispositivo rudimentario de telecomunicações entre o sótano de sua casa de Staten Island (Nova York) e a habitação de sua mulher, na primeira planta.

Resumem:

1854 - Bourseul (Charles) propôs em uma revista ilustrada da época a possibilidade de utilizar vibrações causadas pela voz sobre um disco flexível ou diafragma, com o fim de activar e desactivar um circuito eléctrico e produzir umas vibrações similares em um diafragma situado em um lugar remoto, que reproduziria as vibrações originais.

1855 - Meucci (Antonio) construiu um telefone para ligar seu escritório com seu dormitório localizado no segundo andar, devido ao reumatismo de sua esposa.

1860 - Meucci saca à luz sua invento. Em uma demonstração pública, a voz de um cantor é reproduzida a uma considerável distância.

1861 - Meucci sofre um acidente, a explosão do vapor Westfield, do que sai com severas queimaduras, obriga a sua esposa a vender os trabalhos de Antonio a um prestamista por 6$ (em NY). Quando, uma vez reposto, volta para os recuperar a casa de empenho dize os ter vendido a um homem jovem ao que nunca se pôde identificar.

1861 / 1870 Meucci trabalha intensamente na reconstrução de seu maior invento.

1869 - Gray (Elisha) associa-se a Barton (Enos) e forma uma companhia que lhe provee a Western Union Telegraph Company (WUTC).


1871 / 1873 - Meucci incapaz de reunir os $250 que custa a patente definitiva, tem que se conformar com um trámite preliminar de apresentação de documentação que regista o 28 de dezembro de 1871 e que pode se permitir renovar só em 1872 e 1873.

1873 - Meucci oferece uma demonstração do telégrafo parlante a um empresário chamado Edward B. Grant, vice-presidente de uma filial da Western Union Telegraph Company. A cada vez que Meucci tratava de avançar, se lhe dizia que não tinha oco para sua demonstração.

1874 - Gray fez a primeira demonstração pública de sua invento, o telefone, e funcionou perfeitamente (um par de anos após que Meucci apresentasse seu invento em WUTC, onde trabalhava seu ex amigo e sócio Barton).

1875 - Meucci pediu que lhe devolvessem seu material, ao que lhe contestaram que se tinha perdido (o mesmo laboratório de WUTC em onde Bell conduziu seus experimentos).

1876 - Gray o 14 de fevereiro de 1876 apresentou a solicitação de sua invento mas só duas horas dantes um tal Alexander Graham Bell tinha apresentado a solicitação de patente para sua invento.

A patente de Bell ainda era discutible porque tinham rumores de que Bell tinha um confidente no escritório de patentes o qual lhe avisou antecipadamente de que devido ao caso particular sucedido se iam comparar as duas patentes para eliminar a pior e mais cara das duas. Diz-se que Bell teve acesso a comparar a patente de Gray com a sua própria e após isto acrescentou uma nota à margem escrita a mão na que propunha um desenho alternativo ao seu que era idêntico ao de Gray.

Bell (Alexander Graham) em 1876 registou então uma patente que realmente não descreve o telefone mas o refere como tal. (posteriormente afloró que existia um acordo pelo qual Bell pagaria à WUTC um 20% dos benefícios derivados da comercialização de sua invento durante 17 anos).

Telefone Digital Panasonic.

Evolução do telefone e sua utilização

Desde sua concepção original foram-se introduzindo melhoras sucessivas, tanto no próprio aparelho telefónico como nos métodos e sistemas de exploração da rede.

No que se refere ao próprio aparelho telefónico, se podem assinalar várias coisas:

Quanto aos métodos e sistemas de exploração da rede telefónica, podem-se assinalar:

Marcador.

Existem casos particulares, em telefonia fixa, nos que a conexão com a central se faz por meios radioeléctricos, como é o caso da telefonia rural mediante acesso celular, na que se utiliza parte da infra-estrutura de telefonia móvel para facilitar serviço telefónico a zonas de difícil acesso para as linhas convencionais de fio de cobre. Não obstante, estas linhas a todos os efeitos se consideram como de telefonia fixa.

Funcionamento

Arquivo:Tlf 1.png
Figura 1. Circuito de conversa simplificado.

Um telefone está formado por dois circuitos que funcionam juntos: o circuito de conversa, que é a parte analógica, e o circuito de marcação, que se encarrega da marcação e telefonema. Tanto os sinais de voz como as de marcação e telefonema (señalización), bem como a alimentação, compartilham o mesmo par de fios; a isto às vezes se lhe chama "señalización dentro da banda (de voz)".

A impedancia característica da linha é 600Ω. O mais llamativo é que os sinais procedentes do telefone para a central e as que se dirigem a ele desde ela viajam por essa mesma linha de só 2 fios. Para poder combinar em uma mesma linha dois sinais (ondas electromagnéticas) que viajem em sentidos opostos e para depois poder as separar se utiliza um dispositivo chamado transformador híbrido ou bobina híbrida, que não é mais que um acoplador de potência (duplexor).

Circuito de conversa

O circuito de conversa consiste de quatro componentes principais: a bobina híbrida, o auricular, o microfone de carvão e uma impedancia de 600Ω para equilibrar a híbrida. Estes componentes ligam-se segundo o circuito da figura 1. O sinal que se origina no microfone se reparte a partes iguais entre L1 e L2. A primeira vai à linha e a segunda perde-se no ónus, mas L1 e L2 induzem correntes iguais e de sentido contrário em L 3, que se cancelam entre si, evitando que o sinal do microfone atinja o auricular.

Arquivo:Tlf 3.PNG
Figura 2. Circuito de conversa.

O sinal que vem pela linha percorre L1, que induze uma corrente igual em L 2, de maneira que pelo microfone não circula sinal. No entanto, tanto L1 como L2 induzem em L 3 a corrente que se leva ao auricular. O circuito de conversa real é algo mais complexo: acrescenta um varistor à entrada, para manter a polarización do microfone a um nível constante, independentemente do longe que esteja a central local, e liga o auricular à impedancia de ónus, para que o utente tenha uma pequena realimentación e possa ouvir o que diz. Sem ela, tenderia a elevar muito a voz.

Arquivo:Tlf 5.PNG
Figura 3. Telefone completo.

Circuito de marcação

Finalmente, o circuito de marcação mecânico, formado pelo disco, que, quando retrocede, acciona um interruptor o número de vezes que corresponde ao dígito. O zero tem 10 pulsos. O timbre vai ligado à linha através do "gancho", que é um interruptor que se acciona ao descolgar. Uma tensão alternada de 75 V na linha faz soar o timbre.

Marcação por tons

Como a linha alimenta o microfone a 48 V, esta tensão se pode utilizar para alimentar, também, circuitos electrónicos. Um deles é o marcador por tons. Tem lugar mediante um teclado que contém os dígitos e alguma tecla mais (* e #), cuja pulsação produz o envio de dois tons simultâneos para a cada pulsação. Estes circuitos podiam ser tanto bipolares (I²L, normalmente) como CMOS, e acrescentavam novas prestações, como repetição do último número (redial) ou memórias para marcação rápida, pulsando uma sozinha tecla.

Timbre

O timbre electromecánico, que se baseia em um electroimán que acciona um badajo que golpeia o sino à frequência da corrente de telefonema (20 Hz), se viu substituído por geradores de telefonema electrónicos, que, igual que o timbre electromecánico, funcionam com a tensão de telefonema (75 V de corrente alternada). Costumam incorporar um oscilador de período em torno de 0,5 s, que comuta a saída entre dois tons produzidos por outro oscilador. O circuito vai ligado a um pequeno altavoz piezoeléctrico. Resulta curioso que se procurem tons agradáveis para substituir a estridencia do timbre electromecánico, quando este tinha sido elegido precisamente por ser muito molesto e obrigar assim ao utente a atender o telefonema graças ao timbre.

Veja-se também

Enlaces externos

Obtido de http://ks312095.kimsufi.com../../../../articles/a/n/d/Andorra.html"