Visita Encydia-Wikilingue.com

Telefonia móvel

telefonia móvel - Wikilingue - Encydia

Estação baseie de telefonia móvel (celular).

A telefonia móvel, também chamada telefonia celular, basicamente está formada por duas grandes partes: uma rede de comunicações (ou rede de telefonia móvel) e os terminais (ou telefones móveis) que permitem o acesso a dita rede.

Conteúdo

Telefone móvel ou celular

O telefone móvel é um dispositivo inalámbrico electrónico que permite ter acesso à rede de telefonia celular ou móvel. Denomina-se celular devido às antenas repetidoras que conformam a rede, a cada uma das quais é uma célula, conquanto existem redes telefónicas móveis satelitales. Sua principal característica é sua portabilidade, que permite se comunicar desde quase qualquer lugar. Ainda que sua principal função é a comunicação de voz, como o telefone convencional, seu rápido desenvolvimento tem incorporado outras funções como são câmara fotográfica, agenda, acesso a Internet, reprodução de vídeo e inclusive GPS e reprodutor mp3.

O primeiro antecedente com respeito ao telefone móvel é da companhia Motorola, com seu modelo DynaTAC 8000X. O modelo foi desenhado pelo engenheiro de Motorola Rudy Krolopp em 1983. O modelo pesava pouco menos que um quilo e um valor de quase 4.000 dólares. Krolopp incorporar-se-ia posteriormente à equipa de investigação e desenvolvimento de Motorola liderado por Martin Cooper. Tanto Cooper como Krolopp aparecem como proprietários da patente original. A partir do DynaTAC 8000X, Motorola desenvolveria novos modelos como o Motorola MicroTAC, lançado em 1989, e o Motorola StarTAC, lançado em 1996 ao mercado.

Funcionamento

A comunicação telefónica é possível graças à interconexión entre centrais móveis e públicas.

Segundo as bandas ou frequências nas que opera o móvel, poderá funcionar em uma parte ou outra do mundo.

A telefonia móvel consiste na combinação de uma rede de estações transmissoras-receptoras de rádio (repetidores, estações baseie ou BTS) e uma série de centrais telefónicas de conmutación de 1er e 5º nível (MSC e BSC respectivamente), que possibilita a comunicação entre terminais telefónicos portáteis (telefones móveis) ou entre terminais portáteis e telefones da rede fixa tradicional.

Evolução e convergência tecnológica

Evolução do número de utentes de telefonia móvel segundo o regular que empregam.

A evolução do telefone móvel tem permitido diminuir seu tamanho e peso, desde o Motorola DynaTAC, o primeiro telefone móvel em 1983 que pesava 800 gramas, aos actuais mais compactos e com maiores prestações de serviço. O desenvolvimento de baterías mais pequenas e de maior duração, ecrãs mais nítidos e de cores, a incorporação de software mais amigable, fazem do telefone móvel um elemento muito apreciado na vida moderna.

O avanço da tecnologia tem feito que estes aparelhos incorporem funções que não faz muito pareciam futuristas, como jogos, reprodução de música Mp3 e outros formatos, correio electrónico, SMS, agenda electrónica PDA, fotografia digital e video digital, videollamada, navegação por Internet e até Televisão digital. As companhias de telefonia móvel já estão a pensar novas aplicações para este pequeno aparelho que nos acompanha a todas partes. Algumas dessas ideias são: médio de pagamento, localizador e identificador de pessoas.

Conexão a Internet

Módem USB para Internet móvel Huawei E220

Com o aparecimento da telefonia móvel digital, foi possível aceder a páginas de Internet especialmente desenhadas para móveis, conhecido como tecnologia WAP.

As primeiras conexões efectuavam-se mediante um telefonema telefónico a um número do operador através da qual se transmitiam os dados de maneira similar a como fá-lo-ia um módem de PC.

Posteriormente, nasceu o GPRS, que permitiu aceder a Internet através do protocolo TCP/IP. Mediante o software adequado é possível aceder, desde um terminal móvel, a serviços como FTP, Telnet, transportadora instantânea, correio electrónico, utilizando os mesmos protocolos que um computador convencional. A velocidade do GPRS é de 54 kbit/s em condições óptimas, e se tarifa em função da quantidade de informação transmitida e recebida.

Outras tecnologias mais recentes que permitem o acesso a Internet são EDGE, EvDO e HSPA.

Aproveitando a tecnologia UMTS, começam a aparecer módems pára PC que ligam a Internet utilizando a rede de telefonia móvel, conseguindo velocidades similares às da ADSL. Este sistema ainda é caro já que o sistema de tarificación não é uma verdadeira tarifa plana senão que estabelece limitações quanto a dados ou velocidade.

Internet móvel em Colômbia

Em Colômbia existem três operadoras móveis com rede própria (Movistar, Comcel e Tigo) e as três oferecem acesso a transferência de dados. O Mercado de telefonia móvel em Colômbia está a crescer.[1]

Internet móvel em Espanha

Actualmente todos os operadores espanhóis com rede própria (Movistar, Orange, Vodafone e Yoigo) oferecem conexão a Internet móvel. Alguns dos virtuais, como por exemplo Jazztel, Pepephone ou Masmovil, também oferecem este serviço.

O operador líder em tráfico de dados móveis em 2007 era Vodafone,[2] mas ao tratar de um serviço muito lucrativo para os operadores, na actualidade existe uma intensa batalha comercial neste campo,[3] , que se une à de cobertura, aparecendo a tarifa ilimitada de Movistar "Tarifa Plana Internet Plus"[4] e o módem USB prepago de Vodafone. Alguns dos novos operadores baseiam parte de sua estratégia comercial neste serviço, notavelmente Yoigo e Masmovil.

Por outro lado, é comum entre os operadores anunciar supostas tarifas planas que depois resultam estar limitadas.[5] Não obstante, Vodafone oferece desde abril de 2010 uma tarifa de Internet móvel sem limites de descarga e, sobretudo, sem baixadas de velocidade (21,6 Mbps de descarga e 5,7 Mbps de subida).[6]

Internet móvel em México

Em México existem quatro operadores móveis com rede própria (Telcel, Movistar, Iusacell, Nextel) e as quatro oferecem acesso a transferência de dados em suas diferentes redes. Telcel oferece-o baixo WAP, GPRS (EDGE), 3G e em algumas cidades 3.5G. Movistar oferece-o baixo WAP e GPRS. Iusacell oferece o serviço baixo 3G enquanto Nextel oferece-o baixo WAP sobre iDEN. Iusacell e Telcel contam com a cobertura mais ampla de 3G no país, e em algumas praças estão a implementar 3.5G, o serviço ilimitado de Telcel tem um custo a junho de 2009 de $379.00 pesos ou $28 dólares, o serviço ilimitado de Iusacell tem um custo a junho de 2009 se é navegação desde o móvel $250.00 pesos ou $18.50 dólares por 30 dias de serviço, se é navegação por PC não tem um plano ilimitado.

Internet móvel em Venezuela

Em Venezuela existem três operadoras móveis com rede própria (Movistar, Movilnet e Digitel) e as três oferecem acesso a transferência de dados. O Mercado de telefonia móvel em Venezuela para o primeiro trimestre do 2008 atinge a cifra de 24.405.387 linhas,[7] segundo dados oficiais do ente governamental competente (CONATEL).

Datanalisis, empresa especializada em estudos de mercado, assegura em um estudo de novembro de 2007[8] que um 42,8% dos utentes venezuelanos se declara interessado em se ligar a Internet através do móvel, enquanto um 18% declara usar este serviço, sendo os correios electrónicos (em um 57,1%), a busca de informação (em um 42,5%) e a descarga de tons (em um 44,7%) as três actividades onde os utentes venezuelanos manifestam maior interesse quanto a Internet móvel.

Internet móvel em Chile

Em Chile actualmente as três operadoras móveis contam com planos de acesso a Internet móvel, todas contam com redes 3.5G ao longo de todo o país nas principais cidades e povoados, possibilitando o acesso a Internet de alta velocidade em praticamente qualquer lugar do país. Entel PCS, Movistar e Claro contam com planos de acesso ilimitado, com velocidades de acesso que variam entre 200 Kbps e 2 Mbps utilizando a tecnologia HSDPA para o conseguir, Entel PCS conta com um plano com velocidade entre 3 e 8 Mbps e só recentemente Movistar acaba de anunciar um plano de até 10 Mbps. Actualmente Chile conta com mais de 600.000 conexões a internet através de Banda Larga Móvel.

Telefonia móvel ou celular

Telefonia celular na Argentina

[9] O primeiro serviço de telefonia celular na Argentina foi prestado pela companhia Movicom Argentina a partir de 1989 na Área Metropolitana de Buenos Aires.

Esta companhia prestou o serviço monopólicamente até 1993 quando ingressou ao mercado na mesma zona a empresa Miniphone, que era propriedade em um 50% das duas operadoras de telefonia fixa nacionais da Argentina (Telecom Argentina e Telefónica da Argentina). Esta segunda licença de telefonia celular para a zona de Buenos Aires tinha sido outorgada conjuntamente com a concessão de telefonia fixa em 1990 mas não podia começar a operar até 1993 para permitir que Movicom (ganhadora da licitación da primeira licença) se consolidasse.

No interior do país o processo foi posterior mas similar. Em 1994 a empresa CTI Móvel começou a operar a primeira licença para o resto do país. CTI Móvel também operou monopólicamente nesta zona até 1996 pelas mesmas razões que Movicom o tinha feito em Buenos Aires.

A partir desse ano (1996) Telefónica da Argentina e Telecom Argentina começaram a operar a segunda licença de telefonia celular para o interior, mas neste caso fizeram-no independentemente (não formaram uma empresa como Miniphone). Telefónica fazer no sul do país através de Unifón e Telecom Argentina no norte do país através de Pessoal.

Em 1998 começou a operar Nextel, única empresa que utiliza o sistema de rede melhorada digital integrada (iDEN).

A partir de 1999 as outras cinco companhias puderam legalmente operar em todo o país, o que levou ao desaparecimento de Miniphone , que foi absorvida em partes iguais por seus dois proprietários (Unifón e Pessoal). Desde então o serviço de telefonia foi prestado em regime de concorrência pelas quatro empresas restantes em todo o país.

Em 2003 a companhia América Móvel adquiriu CTI Móvel mas seguiu operando o serviço com a marca CTI.

Em 2005 Telefónica Móveis (que operava baixo o nome comercial de Unifón ) comprou o 100% do pacote accionario de Movicom Argentina e começou a operar baixo o nome comercial de Movistar para consolidar a marca na América Latina e Espanha.

Em março de 2008 América Móvel decidiu modificar o nome comercial baixo o qual operava (CTI), o substituindo por Claro , para unificar com a marca que já utilizava em outros países da América Latina.

Actualmente, as 4 companhias operam com rede própria. Claro, Movistar e Pessoal utilizam a tecnologia GSM e Nextel opera com iDEN.

Telefonia celular em Chile

A telefonia móvel em Chile surgiu em meados da década de 1980 , quando o governo de Augusto Pinochet licitó as frequências necessárias para cobrir o território nacional. Foi bem como, em 1988 existiam três empresas que proveían de comunicações celulares: CTC Celular (Filial da Companhia de Telefones de Chile) e CIDCOM Celular – posteriormente adquirida em 100% por Bellsouth -, com cobertura na V Região e Região Metropolitana de Santiago; Telecom Celular (Filial de ENTEL Chile) e VTR Celular (Filial de VTR Telecomunicações), ambas com cobertura nas zonas entre a I e V Região, e da VI à XI Região.

Em seus inícios, o mercado da telefonia móvel em Chile esteve reduzido a grandes empresários, executivos de alta faixa e autoridades de governo, produto dos altos custos que significava contar com este tipo de serviços. Entre as principais travas para sua expansão encontrava-se o alto custo dos terminais – as empresas contavam com um reduzido estoque fornecido principalmente por Motorola , NEC e Panasonic –; o facto de ter que pagar pelos telefonemas emitidos e recebidas pelos clientes; e a cobrança de roaming nacional, em caso de encontrar em um área alheia à que cobria a empresa prestadora de serviços.

Em meados dos anos 1990, o mercado da telefonia móvel sofreu modificações. Com o fim de ampliar a cobertura de seus clientes e rebajar custos, CTC Celular une-se – para depois adquirir – a VTR Celular, nascendo a primeira empresa de telefonia celular chilena com cobertura em todo o país: Startel.

Foi esta última empresa a que abriu as portas à masificación de seu produto, ao comercializar o primeiro produto de prepago do país: Amistar. A proposta era simples e directa: Todos podiam ter telefone móvel a baixos custos e com cobertura nacional. E para isso, se apoiaram em uma figura publicitária pouco tradicional, ao recorrer à imagem de um Gasfiter (plomero) que recebia chamadas de trabalho em todas partes. Foi "Faúndez" – o protagonista dos spots de televisão de Amistar – quem fez-se tão popular como os telefones móveis, que já contavam com um estoque mais amplo de terminais, fornecidos por Nokia , Ericsson, Motorola, entre outras empresas.

Por outra parte, Telecom Celular deu passo ao nascimento de uma nova empresa de comunicações móveis que procurava penetrar no mercado de maneira inovadora. ENTEL PCS surgiu em 1997, sendo a primeira em oferecer serviços sobre tecnologia GSM do país. Quase em conjunto, Chilesat PCS (Filial de Chilesat) ofereceu cobertura nacional mediante tecnologia CDMA fornecida pela norte-americana Qualcomm.

Actualmente, os operadores de telefonia móvel em Chile são:

Telefonia celular em Cuba

A telefonia móvel em Cuba iniciou-se no ano 1991, através da empresa estatal Cubacel s.a. na norma tdma (800 MHz) com cobertura nacional. Em 2001 começou a prestar-se serviço na norma GSM (900 mhz) através da Empresa de Telecomunicações das Caraíbas (C_COM).

No ano 2004 fundem-se as duas empresas ficando todos os serviços de telefonia móvel a cargo de Cubacel que pertence à vicepresidencia de telefonia móvel de ETECSA (a empresa estatal cubana de telecomunicações).[10]

Em 2005 estabelecem-se 25 novos acordos de roaming internacional, atingindo a cifra de 238.

A extensão dos serviços de telefonia celular tem sido vertiginosa nos anos 2007 e 2008. Não obstante, labora-se por seguir acercando-os a cada vez mais à população. A cobertura da norma GSM (900mhz) atinge ao redor de 80% do território nacional.

A cada vez é mais frequente ver aos cubanos pelas ruas portando algum telefone celular e falando por este, ainda que brevemente, o qual derruba pouco a pouco mitos e preconceitos para uma tecnologia que tem revolucionado o mundo das telecomunicações.

Ao fechamento do ano 2008 registavam-se em Cuba um total de 479 861 linhas celulares activas.[11]

Telefonia móvel em Espanha

Artigo principal: Telefonia móvel em Espanha

A chegada da telefonia móvel a Espanha produziu-se em 1976 , com a posta em serviço do "Telefone automático em veículos" (TAV) pela então Companhia Telefónica Nacional de Espanha (CTNE). Este sistema estava limitado a Madri e Barcelona, e só podia se empregar em veículos.

Telefonia celular em México

O serviço de telefonia móvel em México remonta-se a 1977 , aproximadamente é quando se solicitou à SCT de México (Secretaria de Comunicações e Transportes) uma concessão para instalar, operar e explodir um sistema de radiotelefonía móvel no Distrito Federal. Mas não foi até 1981 quando se iniciou a comercialização deste serviço, o qual foi conhecido pelo público como Telefone no Auto, com o qual se conseguiu, em um lapso de oito meses, dar serviço a 600 utentes.

Um grupo de accionistas contribuíram o capital necessário para cobrir o vazio de um serviço que não existia em México, o da telefonia celular, é por isso que tiveram que procurar vários provedores para este objectivo, elegendo como provedor principal de Telcel no que se referia a equipas de conmutación a Ericsson . Companhia de origem sueco, empresa com mais de 100 anos de experiência em redes telefónicas em México, com estándares europeus aplicados nas centrais de conmutación.

Por aquele então o serviço de telefone móvel era toda uma novidade que só estava ao alcance de uns poucos, não obstante foi um dos meios de comunicação usado pelo jornalista Jacobo Zabludovsky para reportar em tempo real quando ocorreu o terramoto de 1985 já que este se encontrava instalado no auto que usava no dia do siniestro.

Ao longo dos anos 80 e parte dos 90 algumas empresas começaram a brindar este serviço a um nível local, bem como acordos de roaming automático, bem como um predominio da empresa Iusacell, a qual era reconhecida popularmente na época pelo serviço e algumas estratégias de propaganda em massa tanto em televisão como em rádio bem como as primeiras expansões e actuações de Telcel no âmbito de telefonia celular a nível nacional. No entanto as tarifas ainda eram caras e inaccesibles para a maioria dos cidadãos.

México sofreu uma crise económica em 1994 que afectou bastante a todos os rubros de comunicação, pelo que Iusacell, que possuía um poder dominante por aquele então, decidiu enfocarse aos clientes de alto poder adquisitivo com planos de renda a preços elevados. Enquanto, Telcel adoptou uma estratégia que lhe fosse útil para poder subsistir ante a crise, pelo que decidiu acercar seus planos a preços mediamente acessíveis e impulsionar os primeiros planos de prepago baixo o nome de sistema amigo de Telcel (nomeie o qual subsiste até hoje em dia). Iusacell também implementou o mesmo baixo o nome de Viva, o qual prevaleceu até 2005 quando se consolidam seus planos prepagados.

Ao passar nos últimos anos da década dos 90 Telcel, Iusacell e outras concesionarias do serviço como Pegaso PCS e Nextel começaram a investir em massa para incrementar e modernizar parte da infra-estrutura que estava a ser usada em estándares AMPS, TDMA, iDEN E CDMA. Ao mesmo tempo, com a evolução da tecnologia o tamanho dos telefones ia reduzindo-se ao mesmo tempo junto com o preço no serviço, e as alternativas de prepago em constante crescimento iam acercando pouco a pouco ao cidadão ao mundo da telefonia móvel.

Iniciando no novo milénio a evolução tecnológica das redes deu um giro radical ao que devia ser a telefonia móvel em México passando de ser um artigo de luxo a quase ser uma necessidade aunado à entrada de novos empresários como o grupo espanhol Telefónica, que comprou 4 pequenos operadores propriedade de Motorola ao norte do país, criando Telefónica Movistar com sede em Monterrey . Posteriormente esta mesma comprou a outro operador chamado Pegaso PCS, dando-lhe a oportunidade de expandir a cobertura e chegar ao centro e sul do país. Acto seguido, a companhia espanhola mudou suas operações à Cidade de México, destacando também a evolução da companhia Telcel, que implementou o sistema GSM em meados do 2002, enquanto Movistar fez o mesmo mas em 2003 e 2004 respectivamente, deixando a ambas empresas com o regular GSM. Enquanto, Iusacell, que também absorveu à companhia Unefon, se concentrou em implementar e tratar de melhorar sua rede em CDMA e Nextel permitindo uma extensão de contrato para seguir desenvolvendo as redes iDEN no país.

Entre 2006 e 2008 produziu-se o salto aos serviços de terceira geração, tanto Iusacell com sua rede CDMA baixo 1xEV-DO, Telcel e Telfónica baixo o regular UMTS e HSDPA permitindo uma melhoria relativa em serviços de dados e implementação de outros tantos como GPS, videollamadas e outros mais.

Hoje em dia pode-se afirmar que há um competido mercado de serviços de telefonia móvel já que actualmente as companhias encarregadas do serviço são:

Operadores com rede própria

Operadores móveis virtuais

Agenda

Para realizar uma cópia da agenda emprega-se o regular SyncML, utilizado por ZYB de Vodafone , Mobilcal e Copiagenda de Movistar .[13]

Fabricantes

Nokia é actualmente o maior fabricante no mundo de telefones móveis, com uma quota de mercado global de aproximadamente 39,1% no segundo trimestre de 2008. Continuam a lista com um 14,4% Samsung, 10,2% Motorola, 8% LG e 7,5% Sony Ericsson. Entre outros fabricantes encontram-se Alcatel, Apple Inc., Audiovox (hoje UT Starcom), Benefon, BenQ-Siemens, Hewlett Packard, High Tech Computer, Fujitsu, HTC, Huawei, Kyocera,Mitsubishi, NEC Corporation, Neonode, Panasonic (Matsushita Electric), Pantech Curitel, Philips, Research InMotion , SAGEM, Gtran, Sanyo, Sharp, Serra Wireless, SK Teletech, Skyzen, TCL Corporation, Toshiba, Verizon, Zonda Telecom, verykool e Tocs, etc.

Contaminação electromagnética

A contaminação electromagnética, também conhecida como electropolución, é a contaminação produzida pelas radiaciones do espectro electromagnético geradas por equipas electrónicas ou outros elementos produto da actividade humana.

Numerosos organismos como a Organização Mundial da Saúde,[14] a Comissão Européia,[15] a Universidade Complutense de Madri,[16] a Associação Espanhola contra o Cancro[17] , o Ministério de Previdência e Consumo de Espanha, ou o Conselho Superior de Investigações Científicas de Espanha[18] têm emitido relatórios que descartam danos à saúde devido às emissões de radiación electromagnética, incluindo as dos telefones móveis.

Ainda que existem alguns estudos contrários à opinião destas organizações como o publicado em 2003 pelo TNO (Instituto Holandês de Investigação Tecnológica), que afirmava que as radiaciones da tecnologia UMTS poderiam ser perigosas,[19] têm sido rebatidos por outros mais sérios, como uma investigação da Universidade de Zurich,[20] que utilizou até 10 vezes a intensidade utilizada pelo estudo do TNO. Também há numerosos estudos que tentam associar a presença de antenas com diversas doenças.[21]

Em resumem, é seguro viver em um edifício com uma antena de telefonia e nos que o rodeiam, já que ainda não se pôde demonstrar com certeza que a exposição por embaixo dos níveis de radiación considerados seguros suponha um risco para a saúde.

Móvel com televisão.

A criação de uma nova linguagem

A maioria das mensagens que se trocam por este médio, não se baseiam na voz, senão na escritura. Em lugar de falar ao microfone, a cada vez mais utentes —sobretudo jovens— recorrem ao teclado para enviar-se mensagens de texto. No entanto, dado que há que os introduzir com os botoncitos do celular, tem surgido uma linguagem no que se abrevian as palavras se valendo de letras e números. A pesar de que redigir e digitar é consideravelmente mais incómodo que conversar, a cada mês se enviam e recebem 30.000 milhões de mensagens em todo mundo (ano 2005).

A linguagem SMS, consiste em encurtar palavras, substituir algumas delas por simples simbologia ou evitar certas preposiciones e demais. A Principal causa é que o SMS individual se limita a 160 caracteres, se se ultrapassa esse limite, as mensagens já passam a ser dobros, triplos, etc... dependendo do número de caracteres final. Por essa razão tenta-se comprimir o número de caracteres sem perder o entendimento da mensagem podendo estendê-lo bastante mais pelo mesmo custo.

Segundo um estudo britânico, um 42% dos utentes de 18 a 24 anos utilizam-nos para coquetear; um 20%, para marcar citas românticas de forma moderna, e um 13%, para romper uma relação.

A alguns analistas sociais preocupa-lhes que estas mensagens, com sua jerigonza ortográfica e sintáctica, levem a que a juventude não saiba escrever bem. No entanto, outros opinam que “favorecem o renacer da comunicação escrita em uma nova geração”. A porta-voz de uma editorial que publica um dicionário australiano fez este comentário ao rotativo The Sun-Herald: “Não surge com frequência a oportunidade de forjar um novo estilo [de escritura] [...;] as mensagens de texto, unidos a Internet , conseguem que os jovens escrevam bastante mais. Precisam ter um domínio da expressão que lhes permita captar o estilo e se defender bem com o vocabulario e o registo [...] correspondentes a este género”.

Algumas pessoas preferem enviar mensagens de texto (SMS) em vez de falar directamente por questões de economia. De facto, enviar uma mensagem de texto custa menos que falar directamente.

Referências

  1. , tabela comparativa dos operadores em Colômbia, acedido o 27 de fevereiro de 200
  2. O País, 22 de abril de 2007: "Primeira batalha por Internet móvel"
  3. O Mundo, 19 de março de 2008: "Batalha pelo internauta móvel"
  4. «www.movistar.es».
  5. O Mundo, 25 de outubro de 2007: "As tarifas de Internet móvel não são tão planas"
  6. http://www.elretosinlimites.com
  7. Conatel Venezuela, tabela resumem de indicadores de 2008, acedido o 4 de junho de 2008
  8. Datanálisis, "Telecomunicações Móveis e Internet em Venezuela," dezembro de 2007, acesso o 4 de junho de 2008
  9. História de Movicom/Unifón/Movistar
  10. Cubacel. «História da Telefonia celular em Cuba.» (em espanhol).
  11. Amaury E. do Vale. «Telefonia celular em Cuba. O futuro passa pelo móvel.» (em espanhol).
  12. Iusacell plans an investment of $400 Mn for GSM network development (Mexico)
  13. «Fazer cópias de segurança dos contactos do móvel».
  14. Organização Mundial da Saúde, Mag. Ing. Víctor Ruiz Ornetta, estudo peruano sobre "A telefonia móvel e sua saúde"
  15. Comissão Européia, "Health and electromagnetic fields"
  16. Cátedra COITT da Escola Universitária de Engenharia Técnica de Telecomunicação, Universidade Complutense de Madri: recopilación de artigos
  17. Ana Fernández Marcos (Abril 2004.). «Campos electromagnéticos e saúde:Informação e Percepción de risco na população geral.». Consultado o 15 de maio de 2010. «Estudo realizado por Demoscopia para a Associação Espanhola Contra o Cancro. 2004.»
  18. O Mundo, 12 de junho de 2006: "O Supremo recusa as teses ecologistas e respalda o despliegue de antenas móveis"
  19. As antenas para móveis de terceira geração causam nauseas e jaqueca
  20. É nociva a telefonia móvel?
  21. Estudos sobre os efeitos das antenas.

Veja-se também

Enlaces externos

Wikinoticias

pnb:موبائل فون

Obtido de http://ks312095.kimsufi.com../../../../articles/c/ou/m/Comunicações_de_Andorra_46cf.html"